“Decisão insana”: Miriam Leitão sobre Bolsonaro dizer que vacina não é obrigatória

21/10/2020 0 Por Redação Urbs Magna

“O presidente da República só fez atrapalhar, confundir, criar conflitos, e espalhar informações falsas“, diz a colunista do Globo se referindo à pandemia de coronavírus

A jornalista diz que é bem-sucedido o programa nacional de imunizações do Instituto Butantan, que tem sistema de aprovação federal através da Anvisa, e que nenhuma política deveria entrar quando está em jogo a saúde pública.

Em sua matéria no Globo desta quarta (21), Leitão diz que Bolsonaro volta a atentar contra a saúde do povo brasileiro  ao “inocular o vírus da dúvida” quando diz que “a vacina não será obrigatória“.

A colunista também diz que ouviu dizer, no Palácio do Planalto, que o presidente acha que o governador de São Paulo, João Doria, distorceu as palavras do ministro Pazzuelo, que teria falado em memorando de entendimento e não em compra de 46 milhões de doses.

Mas o próprio presidente está contradizendo essa versão, falando em “traição”. A quem ele se refere?“, pergunta Leitão.

No texto, a jornalista disse que Bolsonaro “tem sido um fator perturbador todo o tempo dessa pandemia: ou atacando os governadores ou distorcendo o entendimento da decisão do STF ou perseguindo ministros da Saúde que não se dobravam aos seus caprichos, ou receitando remédios sem comprovação científica, ou brigando com a Ciência“.

Desde o início desta tragédia que nos atinge, que já levou tantas vidas brasileiras, o presidente da República só fez atrapalhar, confundir, criar conflitos, e espalhar informações falsas. Insanidades diárias”, diz Leitão.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.