“Cura gay, sou voluntário” – autor desconhecido

26/06/2013 0 Por Redação Urbs Magna

“CURA GAY, SOU VOLUNTÁRIO”

Ando pensando em me oferecer como voluntário para o que talvez seja um dos avanços mais extraordinários da medicina nos últimos tempos: a cura gay. Para os desavisados, esta tem sido a grande empreitada do deputado Marco Feliciano (PSC-SP), que presidiu a sessão que aprova, pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara, a regeneração de indivíduos homoafetivos. Proposta de autoria do deputado João Campos (PSDB-GO). Sim, é bastante importante a gente saber o nome desses evangélicos que pensam em gays o tempo inteiro. Até então, eu achava que quem pensa tão intensamente em gays era outro gay. Enfim, os tempos mudaram.

Suspeito que os heróis dessa causa, os nobres deputados com masculinidade bastante vulnerável para tanta bravata contra homossexuais, também se submeterão aos novos tratamentos. Vamos comigo, Feliciano, Malafaia e Bolsonaro? Mas, antes, gostaria de tirar algumas dúvidas sobre os procedimentos que serão adotados. Será feito algum tipo de gaysonância magnética para detectar pontos de maior concentração de pinta no organismo ou no toque já há um diagnóstico? Exemplo: se um médico viril segurar de jeito a nuca do Feliciano e ele se arrepiar, já é caso para tratamento? Teremos clínicas e hospitais especializados? Uma Anusclin? Um LesbD’Or? Travamed? E os planos de saúde? Terão período de carência? Acho injusto. Gays já são carentes muitas vezes. Sobre medicamentos, imagino que Feliciano proibirá qualquer tipo de supositório ou injeções na região do glúteo. Proponho uns “patches”… digo, adesivos. “Patch” soa muito gay. Exercícios talvez sejam fundamentais. O movimento de passar cartão e digitar senha nos cultos de Feliciano, além de queimar calorias, garante um certificado divino de heterossexualidade.

Pena que os tratamentos chegam tão tarde. Conheci pessoas que teriam marcado uma geração e quebrado paradigmas, mas eram gays, coitados. Hoje, seriam heterossexuais saudáveis e notáveis: Cássia Eller, Cazuza, Michael Jackson, Gianni Versace. Na primeira metade do século passado, apareceu na Alemanha um cara de bigode com ideias semelhantes às do pastor Feliciano para os gays e fico pensando se não estamos indo na mesma direção. Será que essa tão produtiva e bem intencionada bancada irá propor outros projetos como a Cura Negra, o Apartheid em Cristo e o Holocausto Ungido? Obviamente, tudo em respeito aos direitos humanos.

A cura Gay aparece em tempos de mudanças. O preço da passagem mudou. A carga horário do Ministério Público mudou. Renan, Dirceu, Genoino, Lula e cia. mudam as regras do jogo o tempo todo. Por isso, eu e meus amigos vamos tentar mudar alguma coisa também. Vestindo branco, vamos pra rua encontrar mais milhares com uma rosa na mão e um #sóquenão no coração.”

Autor desconhecido

Fonte: FACEBOOK

O tema rola solto na internet ante a indignação dos internautas com o tamanho do absurdo do tema.
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Fonte: CHONGAS

𝘊𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘤𝘰𝘮 𝘴𝘦𝘶 𝘍𝘢𝘤𝘦𝘣𝘰𝘰𝘬 𝘰𝘶 𝘶𝘵𝘪𝘭𝘪𝘻𝘦 𝘢 𝘰𝘶𝘵𝘳𝘢 𝘴𝘦çã𝘰 𝘮𝘢𝘯𝘵𝘪𝘥𝘢 𝘢𝘣𝘢𝘪𝘹𝘰. 𝘖𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦𝘯𝘵á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘴𝘢𝘣𝘪𝘭𝘪𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘥𝘦 𝘲𝘶𝘦𝘮 𝘰𝘴 𝘱𝘶𝘣𝘭𝘪𝘤𝘢 𝘦 𝘱𝘰𝘥𝘦𝘮 𝘯ã𝘰 𝘳𝘦𝘧𝘭𝘦𝘵𝘪𝘳 𝘢 𝘰𝘱𝘪𝘯𝘪ã𝘰 𝘥𝘰 𝘴𝘪𝘵𝘦. 𝘛𝘦𝘹𝘵𝘰𝘴 𝘷𝘶𝘭𝘨𝘢𝘳𝘦𝘴 𝘦 𝘥𝘪𝘴𝘤𝘶𝘳𝘴𝘰𝘴 𝘥𝘦 ó𝘥𝘪𝘰 𝘴ã𝘰 𝘥𝘦𝘴𝘯𝘦𝘤𝘦𝘴𝘴á𝘳𝘪𝘰𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘢 𝘢 𝘤𝘰𝘯𝘴𝘵𝘳𝘶çã𝘰 𝘥𝘦 𝘶𝘮𝘢 𝘴𝘰𝘤𝘪𝘦𝘥𝘢𝘥𝘦 𝘤𝘪𝘷𝘪𝘭𝘪𝘻𝘢𝘥𝘢. 𝘕𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘤𝘢𝘴𝘰𝘴, 𝘳𝘦𝘴𝘦𝘳𝘷𝘢𝘮𝘰-𝘯𝘰𝘴 𝘰 𝘥𝘪𝘳𝘦𝘪𝘵𝘰 𝘥𝘦 𝘣𝘢𝘯𝘪𝘳 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘱𝘦𝘳𝘧𝘪𝘴.
Anúncios