Com 200 casos da variante Delta, China faz lockdown estrito e testagem em 9 milhões

30/07/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Com 200 casos da variante Delta, China faz lockdown estrito e testagem em 9 milhões

De rápida disseminação, a mutação pode desafiar os rigorosos bloqueios do país, com pacientes emergindo em pelo menos seis províncias chinesas e na capital, Pequim, em apenas três semanas



Paul Mozur
July 30, 2021

Por mais de um ano as autoridades chinesas derrotaram o coronavírus com uma fórmula testada: Rigorosos bloqueios nos locais dos surtos. Quarentenas longas para viajantes. E testes em toda a cidade quando novos casos aparecerem. Mas um surto da variante Delta, de rápida disseminação,pode desafiar a eficiente abordagem da China com relação a novas infecções. No surto, centrado na cidade de Nanjing, no leste do país, cerca de 200 casos foram registrados até sexta-feira. Mas as infecções se espalharam rapidamente, com pacientes emergindo em pelo menos seis províncias chinesas e na capital, Pequim, em apenas três semanas.

À medida que as autoridades tentam conter a propagação, a variante Delta altamente infecciosa pode revelar-se um adversário mais difícil do que a versão original do vírus que a China erradicou com grande eficiência em 2020. Com a maioria da população da China já vacinada, o surgimento da variante Delta também poderia apresentar um teste para as vacinas feitas no país e poderia forçar as autoridades a tomar medidas ainda mais duras para controlar o vírus.

As autoridades chinesas dizem que administraram doses de vacina suficientes para a cobertura de cerca de 800 milhões de pessoas, mas vários outros países que usaram vacinas chinesas relataram que pessoas totalmente inoculadas continuam infectadas, embora a maioria não pareça ter ficado gravemente doente. Os dados também indicam que a variante Delta é mais facilmente transmitida, mesmo por quem já recebeu duas doses de vacinas mais eficazes, como as produzidas pelas empresas Pfizer e Moderna.

O surto na China começou quando um grupo de funcionários do aeroporto de Nanjing adoeceu por volta do último dia 10 de julho, provavelmente em exposição a uma pessoa infectada que chegou em um vôo da Rússia, disseram autoridades municipais. Após duas rodadas de testes em toda a cidade com mais de oito milhões de pessoas foram revelados 184 casos.

Para impedir a propagação, Nanjing fecha cada vez mais os serviços. Primeiro, o aeroporto. E depois, restringindo as reuniões internas. Esta semana as autoridades municipais fecharam partes da via expressa que conecta a capital da província oriental de Jiangsua a outras cidades importantes.

Como um punhado de casos relacionados a Nanjing surgiram em outras províncias, as autoridades agiram rapidamente para impor restrições.

Na cidade central de Zhangjiajie, na província de Hunan, áreas públicas internas, incluindo cinemas e shoppings, foram fechadas depois que as autoridades disseram que quatro pessoas com o vírus, todas assintomáticas, foram a um show na cidade. A quase 320 quilômetros de distância, na capital da província de Changsha, as autoridades proibiram as reuniões internas em resposta a um caso confirmado.

Na província central de Sichuan, onde foram encontrados sete casos, as autoridades declararam que partes da capital, Chengdu, são uma zona de risco médio. A descoberta de três casos na cidade de Shenyang, no norte do país, fez com que as autoridades locais começassem a rastrear os visitantes que vieram de outras áreas com surtos.

Talvez o mais preocupante para as autoridades sejam os dois casos que apareceram em Pequim, onde o governo geralmente segue políticas de prevenção mais rígidas. As autoridades disseram que um casal que viajou de Zhangjiajie testou positivo e que 654 pessoas que estiveram em contato próximo com ele foram colocadas em quarentena.

Comente