Cirurgia transplanta braços em homem que teve membros amputados há 23 anos

23/01/2021 0 Por Redação Urbs Magna

Um islandês, que perdeu os membros em um acidente de trabalho há mais de duas décadas, encontrou doadores adequados e recebeu novos braços e ombros em uma operação complexa

Felix Gretarsson poderá ou não mover seus braços após a operação de transplante duplo. Foto: Montgomery Martin / Alamy Stock Photo

Um islandês que recebeu o primeiro transplante duplo de ombro e braço do mundo está se recuperando bem após a operação, duas décadas após o acidente que lhe custou os dois membros.

Ainda é incerto quanto de mobilidade Felix Gretarsson, de 48 anos, irá recuperar, após a cirurgia realizada no início deste ano, na cidade de Lyon, no sudeste da França.

Os médicos responsáveis pela operação expressaram a satisfação de proporcionar a “possibilidade de [Gretarsson] dobrar ativamente os cotovelos” em braços que já não tinha há mais de duas décadas. “Isso mudará sua vida”, disseram.

Em 1998, o homem, que era eletricista, trabalhava em uma linha de alta tensão quando foi atingido por uma carga de 11.000 volts causando-lhe múltiplas fraturas e ferimentos internos e levando-o ao coma por três meses. Neste período, cirurgiões amputaram seus dois braços e Gretarsson foi submetido a várias operações, além de um transplante de fígado.

Anos se passaram até que os cirurgiões encontrassem doadores adequados para o ex-eletricista. Cerca de 50 médicos se envolveram nos preparativos para a operação. Quatro equipes cirúrgicas foram mobilizadas para minimizar o tempo de transição entre doador e receptor.

Os médicos disseram que a perspectiva de o braço direito se tornar funcional era melhor do que para o esquerdo, que também exigiu uma reconstrução completa do ombro. Nenhuma complicação séria foi detectada nove dias após a operação, disseram eles.

O paciente estava longe de ser capaz de mover os braços, mas parecia visivelmente satisfeito com o resultado em um curto vídeo filmado em sua cama de hospital e mostrado na entrevista coletiva.

Guðmundur Felix Grétarsson, 48, que em 14 de janeiro se tornou a primeira pessoa do mundo a se submeter a uma cirurgia de transplante de braços e ombros, falou à nação islandesa apresentando seus novos membros implantados em operação que durou 14 horas.

Felix relata como perdeu os dois braços em um acidente de trabalho, nos arredores de Reykjavík.

Vinte e três anos depois ele soube que um doador havia sido encontrado e, logo após, ele foi submetido à complicada operação.

No vídeo, ele explica que a reabilitação será duradoura e que somente após três anos ficará claro se haverá o sucesso esperado, quando poderá dizer se poderá usar seus novos membros, uma vez que seus nervos ainda estão em desenvolvimento.

“Mesmo assim, já parece melhor”, diz o ex-eletricista que agradeceu ao seu país pelo seu apoio, sem o qual, afirmou, a operação não teria sido possível.

Ele promete postar atualizações nas redes sociais: em sua conta no Instagram e em sua página no Facebook.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.