‘Ciro não prospera, Huck é bom na TV, lugar de militar é no quartel e o do PT será no Planalto’

04/03/2021 0 Por Redação Urbs Magna

As opiniões do senador Jaques Wagner foram registradas em entrevista na qual também apresentou suas ideias quanto a candidatura de Haddad: “não é hora de bater martelo sobre esse assunto”, disse ressaltando que sua legenda se recupera de rejeição e apontou possíveis representantes com boa pontuação para preencher o arrependimento dos eleitores do negacionista Bolsonaro

O Senador Jaques Wagner (PT-BA) | Lula Marques

Em entrevista à Folha de S. Paulo, o Senador Jaques Wagner (PT-BA) afirmou que o Partido dos Trabalhadores não desistiu de frente ampla, mas não vê como prosperar com Ciro Gomes. Para o petista, o apresentador Luciano Huck tem bons programas de TV, que ele assiste, mas isso não quer dizer que será um bom político.

O Senador também apontou nomes da legenda, com boa pontuação, que poderiam substituir a candidatura de Fernando Haddad. Sobre os militares, Wagner afirmou que há um desvio de função nas ocupações de pastas dos ministérios do Planalto, pois as Forças Armadas são a garantia de nossas defesa, soberania e independência.

Leia os principais trechos:

Assim como a nossa aprovação, que chegou a 80% na saída do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não é eterna, a rejeição ao PT também não é. Ela vem diminuindo por pessoas que constatam que foi um equívoco apostar em um antipetismo mesmo votando no que está ocorrendo no Brasil. (…) A gente nasceu há 41 anos com pessoas que não tinham ainda experiência em governo. E ganhamos a Presidência da República quatro vezes. Eu creio, mas não tenho bola de cristal, que ganharemos a quinta”.

“[Haddad]teve 47 milhões de votos. Eu tenho governadores do Nordeste que têm uma pontuação muito boa, particularmente três: da Bahia [Rui Costa], do Piauí [Wellington Dias] e do Ceará [Camilo Santana]. (…) Toda hora consideramos declarações possíveis de outros candidatos. Na minha opinião, não é hora de bater martelo sobre esse tema. (…) Se o Lula recuperar seu direito político , tenho de saber dele. Se ele estiver com vontade, acho que tem, dentro do PT ele seria natural. Se ele não recuperar, que eu espero que não aconteça, ou achar que é melhor ter outro nome, aí tem o Haddad. O Rui Costa, da Bahia, é um nome. E os governadores do Ceará e do Piauí também”. Como há nomes em outros partidos. É óbvio que o nome do Flávio Dino (PC do B), como governador do Maranhão, é sempre um que circula”.

“O Ciro Gomes (PDT), evidentemente, está colocado, mas ele está fazendo uma política de isolamento do PT, então, não vejo como prosperar. (…) [Luciano Huck] como apresentador, acho até interessante o programa dele. Eu preciso conhecer as ideias dele para saber se é uma candidatura. Não está impedido, mas eu gosto muito de cada qual em seu cada qual. Um belo cantor não será necessariamente um bom político”.

Eu não tenho nenhum tipo de discriminação contra os militares, porque reconheço a sua boa formação. Mas também eles não foram formados para estarem em ministérios. Eles foram formados para integrarem as Forças Armadas e, em um país da nossa dimensão, garantirem a nossa soberania, independência e defesa. Então, não estou dizendo que este ou aquele não pode ser, mas, na minha opinião, há um desvio de função. (…) Você não manda médico ser mestre de obra. Nem mestre de obra exercer a função de padeiro ou de médico. (…) quem perde é o país. E, na minha opinião, perdem também como próprias Forças [Armadas], porque acaba que o mau desempenho desgasta a instituição”.

Não sei como vai acabar o governo Bolsonaro. Não sei se virá ou não virá impeachment. Pelo caminho que ele está tomando, eu só vejo coisa ruim pela frente”.

Quem indicou o Villas Bôas para comandante fui eu. E quem aceitou, porque a prerrogativa é dela, foi a presidente Dilma Rousseff. (…) no tempo que ele estava prestando serviço à presidente Dilma, sempre uma relação à boa. Mas essas revelações [do tuíte em 2018 com apoio do alto comando pressionando o STF para barrar libertação de Lula] realmente me mostram ou que eu me enganei ou que ele mudou”.

” (…) Querer negar que houve tortura é, na minha opinião, uma burrice. Porque ela está aí com mortos e desaparecidos e esse foi um momento de um crime de Estado feito na conjuntura da Guerra Fria. (…) Na minha opinião, não erramos em fazer a Comissão da Verdade”.

” (…) O acionista majoritário dessa belíssima companhia [Petrobras] que é o orgulho nacional chama-se povo brasileiro, porque ela é majoritariamente do Estado brasileiro. (…) O que acho aberração é pegar uma empresa que é abrangente do Estado brasileiro e entendido que ela não tem de respeitar nada do seu acionista majoritário. E simplemente obedecer à chamada lei de mercado. Está errado isso”.

” (…) Nós saímos de líderes para párias. Nós fomos puxados da fila em várias escolhas mundiais até pelo grau de biodiversidade que nós temos no Brasil. E praticamente, de 2019 para cá, nós estamos excluídos de todas as mesas . Hoje, nós não seremos eliminados a nada, mas como eu acredito também na diplomacia parlamentar, espero que consigamos reposicionar o Brasil para poder integrar esse esforço que está, inclusive, tardio”.

Perguntado se “o discurso ambiental deve ser encampado pelo PT na próxima eleição”, Jaques Wagner afirmou: “Não tenho dúvida. Na minha opinião, essa é a agenda central do planeta. A defesa do meio ambiente é a verdadeira frente ampla contra o negacionismo.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.