Cientista recusa do governo título de grão-Cruz, o mesmo que Bolsonaro admitiu a si mesmo

O epidemiologista Cesar Gomes Victora, especialista em nutrição e saúde materno-infantil e equidade em saúde, é Professor Emérito da Universidade Federal de Pelotas, além de membro da Academia Brasileira de Ciências. Victora também tem posições honorárias nas universidades de Harvard, Oxford, Johns Hopkins e na London School of Hygiene & Tropical Medicine / Ao fundo, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, eleito em 2018 após um golpe contra o favorito do pleito, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ironiza durante apresentação no programa Alerta Especial, da RedeTV!, comandado por Sikêra Jr (Foto: Reprodução) | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

Não consigo compactuar com negacionismo, perseguições a colegas cientistas e cortes nos orçamentos para retroceder os importantes progressos alcançados pela comunidade científica brasileira nas últimas décadas“, justificou o cientista em carta ao Ministério da Ciência e Tecnologia

O cientista epidemiologista Cesar Gomes Victora recusou, do governo de Jair Bolsonaro, o título de grão-Cruz da Ordem de Mérito Cientifíco, a mesma condecoração que o presidente admitiu a si mesmo e que seria também oferecida ao pesquisador. Em carta enviada ao ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, nesta sexta-feira (5/11), Victora afirmou que não consegue “compactuar com negacionismo, perseguições a colegas cientistas e cortes nos orçamentos para retroceder os importantes progressos alcançados pela comunidade científica brasileira nas últimas décadas“.

O documento foi divulgado no site da Associação Brasileira de Saúde Coletiva. As críticas do cientista são uma resposta à ação irresponsável do governo durante a pandemia de Covid-19 no Brasil, à perseguição a cientistas e aos cortes nos orçamentos federais para a ciência. 

De acordo com matéria no jornal O Globo, na tarde de hoje, Cesar Victora diz que outro motivo para a recusa da honraria se deve à revogação da condecoração a outros dois cientistas.

Leia a íntegra da carta:

“Exmo. Sr. Ministro Marcos Pontes,

Tomei conhecimento no último dia 3 da publicação no Diário Oficial informando minha promoção desde o grau de Comendador da Ordem do Mérito Científico, distinção a mim conferida em 2008, para o prestigioso grau de Grã-Cruz da mesma ordem.

Embora a distinção represente um importante – e talvez o maior – reconhecimento para qualquer cientista brasileiro, ela me deixou dividido.

A homenagem oferecida por um governo federal que não apenas ignora, mas ativamente boicota as recomendações da epidemiologia e da saúde coletiva, não me parece pertinente.

Como cientista e epidemiologista, tenho tornado pública, através de palestras e artigos científicos, minha completa oposição à forma como a pandemia de COVID-19 tem sido enfrentada por esse governo. 

Mais ainda, enquanto cientista não consigo compactuar com a forma pela qual o negacionismo em geral, as perseguições a colegas cientistas e em especial os recentes cortes nos orçamentos federais para a ciência têm sido utilizados como ferramentas para retroceder os importantes progressos alcançados pela comunidade científica brasileira nas últimas décadas.

Escrevi o texto acima antes de ficar ciente de que as indicações de dois colegas cientistas com posições críticas ao governo federal foram tornadas sem efeito, conforme o Diário Oficial de 5 de novembro. Tal atitude somente reforça minha decisão de não aceitar a distinção a mim oferecida.

Atenciosamente,

Cesar Victora”

Cesar Gomes Victora

Os trabalhos de Victora definiram políticas internacionais de amamentação e nutrição infantil. Suas pesquisas incluem a Avaliação Multipaíses da Estratégia de Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI) e o consórcio de pesquisa COHORTS.

Victora é o pesquisador principal das Coortes de Nascimento de Pelotas, conduzidas em 1982, 1993, 2004 e 2015. Foi um dos coordenadores principais do Estudo Multicêntrico de Referência de Crescimento, que deu origem às curvas de crescimento infantil da Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 2017, foi premiado com o Prêmio Gairdner de Saúde Global.

O cientista atuou e continua atuando em vários comitês internacionais para a Organização Mundial da Saúde e o Unicef, nas áreas de saúde e nutrição infantil. Foi um dos membros fundadores e coordenador científico da iniciativa Contagem Regressiva para 2015, que acompanhou o progresso dos países em relação aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, durante o Governo Dilma Rousseff.

Atualmente,Victora é um dos líderes da Contagem Regressiva para 2030, que monitora os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas destinados a reduzir a mortalidade materna e infantil. 

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.