Célere, Folha ‘embarca’ Ciro, que compara Lula a Pelé e diz buscar alianças para “tirar o PT do 2º turno contra Bolsonaro”

27/02/2021 1 Por Redação Urbs Magna

O jornal publica que o presidenciável pedetista namora DEM e PSD mirando reinflar o anti-lulopetismo em eleitores que também seguem na contramão do bolsonarismo, mas ante a provável suspeição de Moro e reabilitação política do ex-presidente, Ciro acelera

Ciro Gomes intensificou acenos ao DEM e PSD mirando sua candidatura à Presidência em 2022 para tentar tirar o PT – cada vez mais próximo do segundo turno contra Bolsonaro, em razão dos desdobramentos do caso dos vazamentos das conversas hackeadas apreendidas pela operação spoofing, da PF, e após a própria previsão da Folha de S. Paulo sobre suspeição certa de Moro e reabilitação política de Lula.

Em entrevista ao jornal, Ciro defendeu uma união de centro-esquerda para buscar apoio em sua tentativa de derrotar o atual presidente do Brasil em eventual busca por reeleição e reforçou seu rompimento com o Partido dos Trabalhadores.

“Nesse quadro de hiperfragmentação, quem for contra o Bolsonaro no segundo turno tem tendência de ganhar a eleição. O menos capaz disso é o PT. Por isso, a minha tarefa é necessariamente derrotar o PT no primeiro turno”, afirmou ao jornal – que deu ênfase à fala, em sinal de apoio ao candidato aproveitando para minimizar a legenda, como é de praxe.

Ciro, diz a Folha, “escancarou seu distanciamento da sigla ao não embarcar na campanha de Fernando Haddad (PT) no segundo turno” de, vencido por Bolsonaro. “Ex-ministro do governo Lula (PT), o pedetista diz que o que chama de “lulopetismo” representa hoje uma “adversidade intransponível” em sua relação com a legenda”, escreve o jornal.

“Converso muito com os petistas. Lá dentro, tem um grupo que acha que o Lula, com sua loucura e caudilhismo, está passando de qualquer limite. Faz as coisas sem consultar ninguém, joga só, é o Pelé”, comparou Ciro Gomes.

“Nos flertes com líderes partidários, ele tem marcado sua posição anti-Bolsonaro e anti-Lula e desestimulado apostas em neófitos como o ex-juiz Sergio Moro e o apresentador Luciano Huck (ambos sem filiação partidária), aos quais faz ataques pela inexperiência”, pontua a Folha parecendo não se dar conta de que Pelé ainda é considerado, por muitos, o maior jogador do mundo de todos os tempos.

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.