Categoria: MUNDO

Golpe na Venezuela: Bolsonaro se encontra com presidente Tribunal Supremo de Justiça venezuelano em exílio e com um assessor da OEA e diz que “solução” para a Venezuela virá “em breve”

Por Redação Urbs Magna

O presidente Jair Bolsonaro, alinhado à postura intervencionista dos Estados Unidos, afirmou nesta quinta-feira (17) que a “solução” para a crise na Venezuela virá “em breve”. Ele recebeu em Brasília o presidente do Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela em exílio, Miguel Ángel Martins, e o assessor de Assuntos Institucionais da Organização dos Estados Americanos (OEA), Gustavo Cinose, e disse que vai atuar para levar de volta a “democracia” ao país vizinho. Na reunião, teria sido discutida uma suposta ofensiva internacional para derrubar o atual governo venezuelano.

Anúncios

Brasil dá ponta pé inicial no Golpe contra a Venezuela: Chanceler Ernesto Araújo inicia articulação que pode derrubar Maduro

Por Redação Urbs Magna

O governo Bolsonaro rasgou a fantasia e mergulhou em conspiração aberta para derrubar o governo de Nicolás Maduro na Venezuela. O gesto é sem precedentes e pode abrir caminho para uma tensão jamais vista entre os dois países. Três opositores venezuelanos desembarcaram em Brasília para tratar da “transição” na Venezuela. Antonio Ledezma, Julio Borges e Carlos Vecchio vão se encontrar com Ernesto Araújo, o folclórico chanceler brasileiro. Situação tende a se agravar diante do amadorismo bolsonarista na compreensão da geopolítica regional.

Faroeste Brasileiro: Manchete no New York Times diz “Leis afrouxadas na capital mundial do assassinato”, após decreto do posse de arma de Bolsonaro

Por Redação Urbs Magna

A repercussão sobre a liberação da posse de armas no Brasil teve impacto negativo no mundo; o jornal americano New York Times escreveu que as leis foram afrouxadas na “capital mundial do assassinato”; já o Financial Times lembrou que 61% dos entrevistados pelo Datafolha em dezembro no país afirmaram ser contra a liberação da posse de armas de fogo; o britânico The Guardian afirmou, com base em um estudo da ONG Sou da Paz, que o volume de registro de novas armas no Brasil aumentou de 3.900 para 33 mil em dez anos.