“Carluxo devia respeitar a inteligência alheia, sair das redes sociais e cuidar do pai”, diz jornalista

O objetivo é obvio: no instante em que o presidente está derretendo nas pesquisas o filho dele tenta aproveitar a hospitalização para turbinar a imagem de vítima“, afirmou Josias de Souza – Leia e Assista

Leia a opinião do comentarista político Josias de Souza e assista ao vídeo no final do texto:

“Essa postagem [foto de Bolsonaro sem camisa no Hospital] me impressionou bastante, eu fui atrás disso e eu soube que quem fez a postagem foi o Carlos Bolsonaro, filho ‘zero dois’ do presidente.

É muito impressionante a forma desabrida com que o carlos bolsonaro explora politicamente a saúde do pai. O Carluxo, como ele é chamado na intimidade, promoveu aí o relançamento de um espetáculo meio manjado.

O Carluxo chegou ao hospital Vila Nova Star, em São Paulo, junto com o pai, o que significa dizer que essa profissão virtual vai durar o tempo que durar a hospitalização do Bolsonaro.

O objetivo é obvio: no instante em que o presidente está derretendo nas pesquisas o filho dele tenta aproveitar a hospitalização para turbinar a imagem de vítima.

Nessa primeira postagem o presidente foi levado às redes sociais sem camisa, no leito do HAC ainda em Brasília antes de ser transferido para São Paulo. Junto com a foto, tem esse texto associando ao drama hospitalar à facada na campanha de 2018. O Carluxo faz questão de lembrar de um ex-filiado do Psol, ele fala antigo filiado, um braço esquerdo do PT, assim ele tratou o personagem. E aí, diz que esse atentado foi praticado para impedir a vitória de “milhões de brasileiros que queriam a mudança do Brasil”.

A polícia federal já concluiu que o Adélio Bispo agiu sozinho. Não como “elo participante de uma conspiração política eleitoral”. Ele foi diagnosticado na época pelos médicos como portador de transtorno delirante persistente, ou seja, maluco mesmo.

E a imagem do Bolsonaro imaculado que o Carluxo tenta recriar não encontra mais amparo na realidade. O presidente foi eleito como um político antisistema, anticorrupção e pró liberalismo econômico. Hoje esse “mito” está acorrentado ao sistêmico centrão, chefia uma organização familiar com fins lucrativos e despreza a agenda de reformas liberais.

O filho do presidente deveria respeitar a inteligência alheia, sair das redes sociais e se dedicar a cuidar do pai. Acho que ele faria melhor. Ele faria um bem ao seu pai e não atormentaria o país com essa impressão que a família Bolsonaro não tem limites.

Essa última pesquisa do Datafolha mostrou uma situação muito precária do presidente. A maioria dos brasileiros enxerga o Bolsonaro hoje como um presidente incompetente, desonesto, pouco inteligente, falso, indeciso, autoritário, desesperado e despreparado para o exercício de cargo de presidente. Todos esses qualificativos apareceram na pesquisa com perentuais acima de 50%, alguns passando de 70%, ou seja, fora do ambiente hospitalar o bolsonaro é hoje um político hemorrágico. Isso não se resolve com exploração política barata. Se resolve com trabalho, com empenho… E não parece haver interesse do presidente em reverter isso da maneira correta.

Não será com exploração barata que esse quadro vai se alterar. Acho que o Carlos Bolsonaro perde o tempo dele”.


Siga no Telegram

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.