Campanha prepara Bolsonaro para a derrota no primeiro turno e também no segundo, caso ocorra

Aliados do presidente calculam que se a distância de LULA for maior que 10 pontos no 1º turno, será praticamente impossível uma virada na 2ª fase

Caso Jair Bolsonaro (PL) consiga ir para o segundo turno com LULA (PT), que pode vencer a eleição já neste domingo (2/10), haverá a celebração de uma “vitória política” do presidente, mas “a previsão de estrategistas” é que haverão “dificuldades enormes” para reverter a tendência de vitória também nesta fase do processo eleitoral, escreve Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo.

Caso a distância entre os dois nas urnas, no primeiro turno, seja maior do que dez pontos percentuais, será praticamente impossível alcançar uma virada na segunda fase“, teriam calculado auxiliares e ministros de Bolsonaro, segundo o texto da jornalista, que mostra, na sequência, os números do Datafolha, divulgados na quinta (29/9).

Com 48% dos votos de LULA contra 34% de Bolsonaro, a distância é de 14 pontos percentuais. No começo de setembro, quando Lula tinha 45% e Bolsonaro, 34%, a diferença entre eles chegou a 11 pontos. LULA sobe nas pesquisas desde meados do mês, enquanto Bolsonaro praticamente estacionou.

Em uma eventual e improvável segunda rodada, Bolsonaro seguirá enfrentando especialmente a resistência de jovens, mulheres, pessoas de baixa renda e moradores do Nordeste, conforme mostrou a pesquisa: 63% dos que têm entre 16 e 24 anos dizem votar em Lula no segundo turno, contra 31% que preferem Bolsonaro. No universo das mulheres, o placar é de 56% a 34% no segundo turno; entre os que ganham até dois salários mínimos, ele é de 64% a 27%; e no Nordeste, de 68% a 27% para Bolsonaro no segundo turno.

Siga Urbs Magna no Google Notícias
Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.