Campanha LULA terá 5 mil comitês para informações sobre suas gestões anteriores e propostas

O ex-presidente Luiz Inácio LULA da Silva em sinal positivo. Foto: Fabrice COFFRINI / AFP


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

O PT pretende “organizar uma rede que integre espaços de ação política, já existentes ou que serão criados, em uma rede piramidal que, durante o período eleitoral, se transformará em Comitês Populares da Campanha Lula Presidente

Contra as mentiras sobre o Partido dos Trabalhadores, que ajudaram a vencer o partido dando lugar ao atual ocupante do Palácio do Planalto, os líderes da legenda apostam na comunicação como principal alicerce da RAP (Rede Nacional de Comitês de Atuação Partidária), que será apresentado em seminário a ser realizado nos dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro com a participação do ex-presidente Luiz Inácio LULA da Silva.

Aproximadamente 5 mil comitês serão lançados até o mês de maio para da apoio à sua futura campanha presidencial, com previsão de que a Secretaria Nacional de Comunicação deverá produzir material periódico e específico para divulgação por meio destes comitês e dar visibilidade às ações dos espaços com a criação de um canal próprio para isso.

De acordo com o jornalista Fábio Zanini, editor do coluna Painel do jornal Folha de S. Paulo, o responsável por cada comitê receberá o material da Secretaria de Comunicação do partido e ficará incumbido de divulgá-lo para os militantes em sua área ou território de atuação. Os dirigentes também farão o caminho contrário, fornecendo agenda, fotos e conteúdo de suas atividades para o setor de comunicação do partido.

O objetivo, segundo o PT, é “organizar uma rede que integre espaços de ação política, já existentes ou que serão criados, em uma rede piramidal que, durante o período eleitoral, se transformará em Comitês Populares da Campanha Lula Presidente”.

O planejamento do partido aponta para dois tipos de comitês: os territoriais e os setoriais.

Os territoriais serão representados pelas instâncias municipais do PT, mas poderão ser criados em cidades onde não há diretório do partido.
Os setoriais tratarão de temas específicos e terão metas e tarefas de acordo com suas áreas.

O partido estipula, por exemplo, comitês de combate ao racismo, mulheres e LGBTQI+ em todas cidades com mais de 100 mil eleitores.

Para articular e coordenar a rede, o PT pretende criar um Cadastro Nacional de Comitês, onde cada estrutura será representada por um integrante do partido.

“Este dirigente receberá através de e-mail ou Whatsapp o material específico que será elaborado semanalmente pela Secretaria de Comunicação e ficará responsável por divulgá-lo para os militantes do comitê em sua área ou território de atuação”, diz a apresentação do PT.

O seminário em que a RAP será apresentada vai se chamar “Resistência, Travessia e Esperança” e deve reunir parlamentares e debatedores.

A iniciativa foi da liderança do partido na Câmara dos Deputados, mas a organização foi assumida pelo diretório nacional, pela Fundação Perseu Abramo, Instituto Lula e movimentos ligados ao PT.

Segundo o líder do partido na Câmara, Reginaldo Lopes (MG), o nome cita as três palavras que nortearão o trabalho do PT em 2022.

A ideia inicial era reunir uma grande quantidade de petistas e aliados em Brasília, mas com o avanço da Covid o evento será virtual.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.