Bolsonaro tem 3 pedidos de impeachment por crime de responsabilidade em 15/03

22/03/2020 0 Por Redação Urbs Magna
Compartilhe

O presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, já acumula na Câmara dos Deputados, presidida por Rodrigo Maia, três pedidos de impeachment. Em apenas três dias, o ‘mito’, como é chamado por seus seguidores mais afoitos, foi acusado, em todas as peças documentadas, de ter cometido crime de responsabilidade por conta do surto pandêmico mundial de coronavírus, ao convocar seus apoiadores para os atos e movimentos realizados no último domingo (15 de março), descumprindo recomendações do Ministério da Saúde no que se refere à aglomerações de pessoas.

Jair Messias Bolsonaro, presidente do Brasil, durante fala oficial em cadeia nacional, sobre o coronavírus

A convocação de Bolsonaro foi para o apoio de seu governo e contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Na terça-feira (17) o deputado distrital Leandro Grass (Rede) apresentou o primeiro pedido à Câmara dos Deputados sob argumentação representada de que Bolsonaro estimulou os protestos contra os outros dois Poderes, Legislativo e Judiciário, via compartilhamento de animações nas redes sociais, bem como em discursos oficiais em datas distintas.

Nas falas do presidente, segundo o deputado, ocorreram faltas graves como afirmações sem provas sobre fraude nas eleições de 2018.

Em 10 de março, durante visita aos EUA, Bolsonaro disse que ganhou a disputa para presidente já no primeiro turno. Na mesma data, o presidente ainda dizia que o surto pandêmico de covid-19 no mundo era fantasia da imprensa.

Em seguida ao primeiro pedido de impeachment de Leandro Grass, deputados federais e estaduais do PSOL, juntamente com alguns intelectuais de esquerda, protocolaram o segundo pedido junto à Câmara com as mesmas alegações sobre os atos do dia 15.

Na quinta (19) o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) protocolou o terceiro pedido alegando também crimes de responsabilidade e contra a saúde pública. Mas Frota acrescentou que o presidente da República cometeu crime contra a administração pública, por atacar as jornalistas Patrícia Campos, da Folha de S.Paulo, e Vera Magalhães, do Estadão, e por excluir jornalistas da Folha de S. Paulo de um evento público.

Se Rodrigo Maia (DEM-RJ) decidir pela tramitação dos pedidos, será aberta uma comissão especial para avaliar se aceita a abertura de processo de impeachment e se iniciará contagem de prazo de dez dias para a emissão de parecer sobre a possibilidade da denúncia ser julgada.

Em caso da aprovação do impeachment de Bolsonaro na Câmara dos Deputados, o presidente brasileiro terá 20 dias para apresentar provas em sua defesa.

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.
Compartilhe