Bolsonaro pode ter injetado verba para PRF bloquear ônibus no 2º turno da eleição, diz Transição Lula

Grupo setorial da Justiça e Segurança Pública identificou liberação atípica de recursos para a corporação, justamente na reta final do pleito

O Grupo Técnico da Justiça e Segurança Pública do Gabinete da Transição Lula identificou uma liberação atípica de recursos para a PRF (Polícia Rodoviária Federal), justamente na reta final das eleições de 2022. Foram levantados gastos de R$ 6 milhões em operações da corporação, contra R$ 3,9 milhões em outubro inteiro, como mostra a Folha de S. Paulo.

Há suspeita de que o gasto extra destinou-se a bloqueios de ônibus e algumas estradas no País, sobretudo no Nordeste, onde o Presidente eleito tem mais seguidores.

O dinheiro teria sido usado para a ação no dia da votação, no segundo turno das eleições, quando a PRF descumpriu ordem do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Na ocasião, em 30 de outubro passado, a coligação de Lula cogitou pedir prorrogação do horário de votação, mas desistiu.

Ao contrário do que alega a Transição Lula, a corporação diz que o dinheiro está sendo usado contra as manifestações de eleitores golpistas insatisfeitos com o resultado das urnas, ao verem seu ‘mito’ derrotado para o petista.

Os nomes membros do grupo do Gabinete de Transição – JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA são:

  • – Andrei Passos Rodrigues – Delegado da Polícia Federal.
  • – Camila Nunes – Doutora em Sociologia pela USP. Professora adjunta da UFABC e pesquisadora colaboradora do Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da Universidade de São Paulo.
  • – Carol Proner – Doutora em Direitos Humanos. Professora de Direito Internacional da UFRJ.
  • – Cristiano Zanin – Advogado com especialização em Direito Processual Civil.
  • – Flávio Dino – Ex-juiz, ex-governador do Maranhão. Senador eleito pelo Maranhão.
  • – Gabriel Sampaio – Advogado, foi Secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça durante o governo Dilma Rousseff.
  • – Jaqueline Sinhoretto – Doutora em Sociologia pela USP. Professora da UFSCar. Lidera o grupo de Estudos sobre Violência e Administração de Conflitos da UFSCar.
  • – Márcio Elias Rosa – Procurador de Justiça aposentado, ex-secretário de Estado da Justiça de São Paulo e ex-presidente da Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente (CASA).
  • – Marco Aurélio Carvalho – Advogado especializado em Direito Público.
  • – Marivaldo Pereira – Advogado. Ex-secretário executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública no governo Dilma Rousseff.
  • – Marta Machado – Professora da Fundação Getúlio Vargas.
  • – Omar Aziz – Senador pelo Amazonas, reeleito. Engenheiro civil
  • – Paulo Teixeira – Deputado Federal por São Paulo, é advogado.
  • – Pierpaolo Cruz Bottini – Professor de Direito Penal da USP. Foi Secretário da Reforma do Judiciário durante o primeiro mandato do presidente Lula.
  • – Sheila Carvalho – Advogada Internacional de Direitos Humanos, professora e ativista.
  • – Tamires Sampaio – Advogada, mestra em Direito Político e Econômico pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, pesquisadora na área de segurança pública, política criminal e racismo estrutural. Foi Secretária Adjunta de Segurança Cidadã em Diadema.
  • – Wadih Damous – Advogado. Ex-presidente da OAB/RJ. Ex-deputado Federal PT/RJ.
Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.