Bolsonaro iria pagar sobrepreço de R$ 142 milhões a empresas se não fosse a CGU

14/09/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Bolsonaro iria pagar sobrepreço de R$ 142 milhões a empresas se não fosse a CGU

A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores e deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o presidente Jair Bolsonaro | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

“Imagine o que não pode ter passado batido nesses quase 3 anos de governo?”, disse Gleisi após a CGU apontarvalor a mais em contratos com verba do orçamento secreto – uma estratégia do Planalto para obter apoio no Congresso

Bolsonaro iria pagar sobrepreço de R$ 142 milhões a empresas se não fosse a CGU (Controladoria Geral da União), afirmou a deputada federal e presidente do Partido dos Trabalhadores, Gelisi Hoffmann, sem seu perfil do Twitter. “Imagine o que não pode ter passado batido nesses quase 3 anos de governo?“, questionou a parlamentar após o órgão identificar os valores a mais em contratos com verba do orçamento secreto, cuja estratégia do Planalto era obter apoio no Congresso.

O “valor que o presidente iria pagar a mais a empresas”, descoberto pelo “órgão de fiscalização”, levou Gleisi a especular que pode ter passado muito mais: “Imagine o que não pode ter passado batido nesses quase 3 anos de governo? Governo anticorrupção?“, disse.

O Ministério do Desenvolvimento Regional foi orientado pelo CGU a suspender ou renegociar contratos que totalizam R$ 3 bilhões para compra de máquinas agrícolas por meio do esquema do orçamento secreto, após análise do órgão identificar o sobrepreço, conforme noticiou o Estadão.

Foram bloqueados temporariamente 115 convênios firmados com municípios. Além disso, a pasta renegociou lotes de uma licitação bilionária para readequação dos valores.

 

Comente