Bolsonaro diz que Bebianno estaria envolvido com Adélio no plano para assassiná-lo e ex-assessor o chama de louco dizendo que entrará na justiça pedindo sua interdição

21/12/2019 0 Por Redação Urbs Magna

A acusação do presidente veio a público na manhã desta sexta-feira (20), quando a revista Veja publicou uma entrevista em que Bolsonaro não cita o nome de Bebianno mas dá todas as pistas de que ele se referia a seu ex-assessor de campanha – Mais tarde, na mesma data, o tucano o chamou de desequilibrado e disse que agora quer a interdição do presidente da República – Assista ao vídeo no final da matéria.


De acordo com a revista Veja, Bolsonaro, sugeriu que Bebianno trabalhou com Adélio para matá-lo, teme ser alvo de um novo atentado, justificando que “a gente contraria o interesse de muita gente”, e, por isso, dorme com uma pistola carregada que fica estrategicamente colocada ao alcance da mão”, disse o presidente.

E Bolsonaro conclui sua justificativa dizendo que “ainda tem outras arminhas que ficam guardadas por aí”.

A temática da publicação teve embasamento no tema do atentado a faca que sofreu durante sua campanha em Minas.

E de acordo com ela, o presidente disse que “não engole a versão de que o atentado a faca que sofreu durante a campanha foi obra exclusiva de um desequilibrado mental“, afirmando que “houve uma conspiração”.

Segundo a Veja, “Bolsonaro acredita que (…) uma figura do seu staff de campanha estaria envolvida de alguma forma no plano para matá-lo

Na afirmação, o presidente ão revelou um nome, mas a mídia considerou-a intrigante e, sutilmente, disse que se trata, certamente, de outra mentira de Bolsonaro.

De acordo com o autor da matéria, Jair Bolsonaro começa a dar detalhes “que apontam para um ex-ministro” e o “motivo da traição seria uma vingança por ele não ter escolhido o ex-assessor [Bebianno] como candidato a vice“, conforme o presidente relatou..

Leia a declaração do presidente Jair Bolsonaro à revista Veja:


“O meu sentimento é que esse atentado teve a mão de 70% da esquerda, 20% de quem estava do meu lado e 10% de outros interesses. Tinha uma pessoa do meu lado que queria ser vice. O cara detonava todas as pessoas com quem eu conversava. Liguei para convidar o Mourão às 5 da manhã do dia em que terminava o prazo de inscrição. Se ele não tivesse atendido, o vice seria essa pessoa. Depois disso, eu passei a valer alguns milhões deitado.”

Jair Bolsonaro

Leia mais na Veja

Mais tarde, Gustavo Bebianno, que no início deste ano se arrependeu e pediu desculpas por ter viabilizado a candidatura de Bolsonaro à presidência da República (leia aqui), respondeu aos comentários feitos pelo presidente hoje.

Leia abaixo o comentário de Bebianno e depois assista ao vídeo de sua declaração

“É uma acusação que não merece muito da minha atenção, é de um grau de loucura absoluta, uma coisa estapafúrdia. Fico entre o que o Delegado Waldir falou quando o chamou de ‘vagabundo’ ou é um atestado de loucura, assim, incomparável. A perplexidade fica em primeiro lugar. Me preocupa muito o Brasil estar entregue a uma pessoa tão desequilibrada. Tenho conversado com juristas amigos que compartilham da mesma opinião, vou processá-lo na esfera civil e criminal, além disso vamos mover um processo de interdição também. Ele não tem condições de governar o Brasil”


Gustavo Bebianno

Assista ao vídeo do comentário de Bebianno:


Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL