Bolsonaro diz que a polícia vai apoiá-lo ‘aconteça o que acontecer’, publica a Reuters para o mundo

12/06/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Bolsonaro diz que a polícia vai apoiá-lo ‘aconteça o que acontecer’, publica a Reuters para o mundo

Imagem: O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, em comicio após participar da motociata em meio à pandemia de coronavírus, em São Paulo / 12 de junho de 2021. REUTERS – Avener Prado

Após a motociata realizada em São Paulo neste sábado, a maior agência internacional do planeta publica matéria sobre as atitudes do presidente brasileiro em sua busca por uma saída para a queda de popularidade em decorrência da ascensão política de Lula

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, neste sábado (12), durante comício após a realização da motociata em São Paulo. que pode contar com policiais “aconteça o que acontecer“. Ele mais uma vez busca aliados nas corporações com uma radicalização da sua política, antes da eleição do próximo ano, publicou a agência Reuters.

Ao lado de milhares de apoiadores motorizados sobre duas rodas na maispopulosa capital brasileira, o ex-capitão do Exército de extrema direita disse que as forças da Polícia Militar do país servem de apoio ao que ele apelidou de “meu exército“.

“Vocês são auxiliares das Forças Armadas. Tenho certeza de que, no cumprimento da lei e da ordem, cumprindo as disposições constitucionais, estaremos juntos, aconteça o que acontecer”, disse Bolsonaro.

Com mais de 480.000 pessoas mortas pela pandemia de Covid-19 e as tensões políticas crescendo no maior país da América Latina, Bolsonaro tem buscado o apoio de cerca de meio milhão de oficiais do Brasil, escreveu a agência de notícias. 

Seus críticos temem que isso possa representar riscos democráticos, com a polícia servindo como uma variável potencialmente imprevisível antes da eleição presidencial do ano que vem.

O popular ex-presidente de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva, principal rival de Bolsonaro, parece estar fortalecendo sua liderança sobre o presidente, conforme foi revelado em uma pesquisa eleitoral na sexta-feira. Embora nenhum dos dois homens tenha anunciado sua candidatura, a eleição de 2022 é amplamente esperada, com um segundo turno previsto entre as duas figuras polarizadas.

Durante o evento deste sábado, Bolsonaro foi abraçado por alguns policiais responsáveis ​​pela segurança do passeio de motocicleta e outros tiraram fotos com ele.

Bolsonaro, diz a Reuters, sempre buscou aumentar proteções legais para policiais que cometem homicídios no exercício de suas atividades, ao mesmo tempo em que afirmava que criminosos deveriam “morrer como baratas“. Em suas atiidades como presidente, ele também participou de dezenas de cerimônias de formatura de novos cadetes policiais e militares.

O presidente fez repetidas alegações infundadas de fraude eleitoral no Brasil, o que seus críticos consideram que tais afirmações podem lançar as bases para contestação das próximas eleições na mesma linha de seu ídolo político, o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

O chefe do Executivo brasileiro apoiou todas as conspirações de Trump que diziam respeito a uma eleição roubada no ano passado, que culminou no ataque mortal ao prédio do Capitólio dos Estados Unidos. Bolsonaro agora está pressionando por um projeto de lei para cédulas de votação impressas, em lugar do moderno e seguro sistema de votação eletrônica implantado há anos com sucesso no Brasil.


Siga no Telegram

Comente