Bolsonaro contratará Delgatti – herói da ‘desmoralização de Moro’ que ‘trouxe Lula de volta’, diz jornalista

O ‘hacker de Araraquara’ poderá fazer “apuração paralela dos votos”, espelhando resultados das urnas, escreveu Luis Costa Pinto, no Twitter


Por Luis Costa Pinto
em seu perfil no Twitter

O PL, por meio de Waldemar Costa Neto e Carla Zambelli, com envolvimento direto de Jair Bolsonaro, cooptou Walter Delgatti Neto, o hacker de Araraquara, e o convenceu a entrar na equipe de marketing da campanha à reeleição do trágico presidente brasileiro. Ariovaldo Moreira, advogado de Delgatti que o defendeu até aqui de todos os processos impostos contra ele pelo hackeamento das mensagens da “Força Tarefa da Lava Jato”, rompeu com o cliente por discordar da cooptação.

Zambelli e Bolsonaro querem colocar Delgatti na equipe paga pelo PL que fará apuração paralela dos votos, espelhando a apuração do TSE. Também é intenção da equipe de marketing de Bolsonaro colocar Delgatti no teste de estresse do sistema (o teste que será feito pelas FfAa). Ariovaldo Moreira indignou-se com a forma como Zambelli o abordou e como definiu quais eram as prioridades “do presidente” para a demanda. A partir daí Moreira e Delgatti discutiram e decidiram que seguiriam caminhos opostos: o advogado voltou para Araraquara, ontem mesmo.

O hacker ficou em Brasília e tinha agenda marcada no Palácio da Alvorada, nesta 4ª feira, com Jair Bolsonaro, Zambelli e a equipe do matrketing presidencial. Delgatti e Bolsonaro iam conversar e acertar os ponteiros. Inclusive os acertos financeiros. A jogada de risco de Bolsonaro, só imaginável na cabeça de alguém desqualificado como ele mesmo e Carla Zambelli, e por sua assessoria jurídica e de marketing, legitima todas as ações empreendidas por Walter Delgatti ao expor as mensagens espúrias de Sérgio Moro, Dallagnol e de toda a Lava Jato.

Essas ações de hackeamento levaram à desmoralização de Moro, à queda de todas as sentenças dele, à saída de Dallagnol do Ministério Público, à anulação das condenações de Lula e à elegibilidade do ex-presidente. Bolsonaro pôs de seu lado o “herói” que repôs Lula no caminho de volta à Presidência. Pusilânime, frouxo, ignorante e acanalhado, Bolsonaro cometeu erro crasso de campanha. Zambelli o conduziu a esse erro. Será um erro fatal. O marketing dele irá legitimar o hacker, tirando-lhe o discurso de contestar Lula.

Siga Urbs Magna no Google Notícias
Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.