Bolsonaro comemora o 4 de julho na embaixada dos EUA que, junto com o Brasil, lidera mortes por covid-19

04/07/2020 0 Por Redação Urbs Magna
𝐔𝐌 𝐏𝐨𝐥í𝐭𝐢𝐜𝐚 – “Depois de almoçar na embaixada, Bolsonaro cumprimenta Trump por independência dos EUA e o chama de “grande estadista”. Em mais um gesto de comemoração do 4 de Julho, Jair Bolsonaro vai às redes sociais para chamar de “amigo” o presidente dos EUA e de “belíssimo e corajoso” seu discurso em decorrência da data, envergonhando o Brasil em sua submissão completa“, escreveu a redação do Portal Brasil 247. Juntos, os países lideram os números da covid-19 no mundo com quase 40% do total de casos e 37% dos óbitos do planeta.

Os Estados Unidos registrou 43.580 novos casos neste feriado e acumularam 2.934.168 casos totais de coronavírus no país, o que resultou até o momento 132.302 mortes. Já o Brasil teve um recorde de 33.663 casos totalizando 1.577.004 casos até hoje e ceifando a vida de 64.265 brasileiros. Os dados são do site WorldOMeters, que monitora as informações fornecidas por todos os países. As duas nações representam mais de um terço dos casos do mundo.

Jair Bolsonaro não se contentou em envergonhar o Brasil em sua completa submissão e foi às redes sociais rasgar elogios a Donald Trump e mais uma vez mencionar a data”, escreveu o 247.

Gostaria de parabenizar o Presidente Donald Trump e o povo dos EUA pelo 244º aniversário de sua Independência. Como líderes das duas maiores democracias ocidentais, trabalhamos para avançar os ideais de liberdade, democracia e dignidade humana que esta data representa“, disse Bolsonaro em seu perfil social do microblog Twitter.

“Também cumprimento meu amigo Donald Trump pelo belíssimo e corajoso discurso do dia de ontem. Palavras de um grande estadista. Que o legado e os valores dos fundadores dessa grande nação permaneçam sólidos e jamais sejam apagados por radiciais”, pontuou.

Ontem, sexta-feira (03), o presidente dos EUA disse que os protestos contra o racismo e a violência da polícia americana são uma campanha da esquerda para “apagar nossa história” e para “difamar nossos heróis e suprimir nossos valores e doutrinar nossos filhos”. Donald Trump tambem disse que os Estados Unidos “estão sob cerco do fascismo de extrema esquerda‘ no discurso do Monte Rushmore.

Junte-se a 37.054 outros assinantes

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL