Biden arrasta Bolsonaro para uma guerra fria com a China

04/08/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Biden arrasta Bolsonaro para uma guerra fria com a China

Perdendo poderes para o país asiático por conta da tecnologia 5G, os EUA tentam mostrar aos latinos que ainda são eles quem mandam nas Américas

O presidente americano, Joe Biden, está usando o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, para iniciar uma Guerra Fria contra a China e tem como motivo o 5G, de acordo com publicação na Folha de S. Paulo. A potência perde poder para o país asiático e busca manter sua geopolítica como ela sempre se mostrou, sobrepondo-se ao restante das Américas.

O CFR (Council on Foreign Relations – Conselho das Relações Exteriores em português), um think tank dos EUA “apartidário” e fundado em 1921 para assessorar diplomaticamente presidentes dos Estados Unidos, informa que o país não tem uma tecnologia melhor do que a 5G da Huawei para oferecer. Segundo a entidade, os EUA estão investindo pesado em tecnologia 6G e, por isso, têm intensificado suas intenções com diversos parceiros do mundo a não utilizarem a tecnologia chinesa. Entretanto, entre uma tecnologia, que já está operando a todo vapor, contra uma que ainda não saiu dos laboratórios – e nem se sabe se a “oferta” irá realmente superar as expectativas -, a Huawei vem se mantendo no pódio. Afinal, o nome disso é “livre comércio”.

A dúvida é se Cuba continuará sendo um grande exemplo de violação das leis da opressão americana que assola a América Latina. Quanto ao Brasil, este ainda demonstra a mesma subserviência, mas em um momento em que a maioria dos países latinos estão na contramão de décadas de servilismo. O que se sabe sobre esta guerra de tecnologias é que um dos alvos é o Brasil. Apesar de algumas operadoras afirmarem que já utilizam a 5G, o que se vê são manobras para não atestar que estamos “terrivelmente” atrasados em relação aos outros 65 países do mundo que estão usando a tecnologia de fato. Vendem para nós uma tecnologia “melhorada” em relação à 4G, mas ainda não é a tecnologia 5G.

Com relação às negociações unilaterais com os Estados Unidos, e somente com os Estados Unidos, isso nos remete à Guerra Fria.

Bolsonaro – que conforme vem mostrando a CPI da Covid é o principal responsável pela tragédia que deixou saldo, até agora, de 550 mil mortes pela doença-, deu aos militares da ativa e da reserva a incumbência de aplicar uma uma estratégia de contenção da pandemia, mas que se revelou terrivelmente catastrófica. Para além disso, nos deparamos com cortinas de fumaça e ameaças diuturnas contra a democracia.

Agora querem impedir a China de negociar a tecnologia 5G, que já é usada em diversos países, inclusive, aliados dos EUA, como alguns países membros da OTAN.

Se a China resolver usar as estratégias do arqui-inimigo promovendo sanções comerciais ao Brasil, não ficaremos em situação confortável com nosso principal parceiro comercial. Tais sanções seriam como os embargos; os bloqueios econômicos impostos pelos EUA à Cuba e à Venezuela em resposta à não cooperação com a ‘cartilha’ americana. E a tendência é que nos tornemos uma Cuba ou uma Venezuela nas mãos dos chineses, ironicamente por ‘mérito’ de Bolsonaro.

Comente