Bebianno é enterrado 13 h após morte, sem a autópsia desejada por amigos que diziam que ele era um arquivo vivo

14/03/2020 2 Por Redação Urbs Magna
Compartilhe

Uma matéria no portal Brasil 247 menciona que amigos do ex-secretário geral da Presidência Gustavo Bebianno, morto neste sábado (14) após infarto, foi enterrado no final da tarde no Cemitério Municipal de Teresópolis sem a autópsia desejada por amigos para que as circunstâncias da morte fossem investigadas.

O site também deixa implícito que Bebianno foi sepultado em tempo suspeito; aproximadamente 13 horas após seu falecimento, que foi divulgado tendo sido às 04:30h. O sepultamente ocorreu entre 17:30h e 18:00h.

Amigos pedem investigação da morte de Bebianno

De acordo com o portal, a fundadora do movimento Política Viva do qual Bebianno participava, a empresária Rosangela Lyra, fez a seguinte afirmação, a qual foi linkada para o site Congresso em Foco que contém as entrevistas:

Tudo tem de ser apurado muito em função das mensagens que ele mencionava nas entrevistas”. “Ficamos pensativos, até pelo momento político do país. Escuta-se falar muito de queima de arquivo, de que existem várias formas de matar alguém

Ainda segundo o portal, o vice-presidente do PSL, deputado Junior Bozzella (SP) disse ser importante que providências sejam tomadas para esclarecer o falecimento.

Ele era um arquivo vivo, a pessoa mais próxima de Bolsonaro na campanha. A mim nunca me confidenciou nada. Sempre foi muito republicano e não fazia ilações. Mas é natural que agora surja todo tipo de especulação”.

Nas redes sociais circula um áudio de uma conversa em que Bolsonaro se desentende com Bebianno.

Telegram: Acesse e SIGA NOSSO CANAL

Comente com o Face ou utilize a outra seção abaixo. Os comentários são de responsabilidade do autor e não têm vínculo com a publicação. Mantenha um bom nível de discussão, do contrário reservamo-nos o direito de banir seus perfis.
Compartilhe