Anderson Torres revira gavetas de Moro no ministério da Justiça e promete ofensiva eleitoral

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro e o atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, ao lado de Bolsonaro | Sobreposição de imagens


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

A ideia do ministro bolsonarista é postar dados comparativos entre sua gestão e a do ex-juiz quando fez parte da equipe do governo

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, prepara ofensiva eleitoral contra Sergio Moro, que passou pela gestão da casa, de acordo com o jornalista Igor Gadelha, no portal de notícias Metrópoles.

O texto afirma que a ala política do governo, além de outros auxiliares presidenciais, também preparam ataques ao adversário do atual ocupante do Palácio do Planalto nas eleições deste ano.

Delegado da Polícia Federal, Torres está na gestão do ministério desde quando assumiu o cargo em substituição a André Mendonça, em março de 2021, e, agora, pretende atacar Moro por meio de dados da atuação dele na pasta entre janeiro de 2019 e abril de 2020, tendo solicitado a auxiliares para levantarem informações e produzirem um dossiê.

Gadelha afirma que a ideia do atual ministro é soltar dados comparativos entre sua gestão e a de Sergio Moro, nas redes sociais, ao longo dos próximos meses, durante o debate eleitoral, como uma apreensão recorde de cocaína no primeiro ano da gestão de Torres, quanto 18 toneladas da droga teve seu caminho no tráfico interrompido, contra 1,7 tonelada apreendida na gestão Moro, o que significa um aumento de “800%” em favor do bolsonarista.

O jornalista do Metrópoles também mostrou que Anderson Torres retuitou uma mensagem em que Moro apresenta, como suas, as ideias que supostamente já estariam sendo executadas no governo Bolsonaro. .

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.