Allan dos Santos tem mais um canal removido do YouTube

23/10/2021 0 Por Redação Urbs Magna
Allan dos Santos tem mais um canal removido do YouTube

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos em foto do infoglobo, de 2020, em imagem sobreposta aos prints de seu Canal removido do YouTube, Artigo 220 | reprodução


PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO

O Artigo 220 saiu do ar por “ordem judicial” e “não está disponível” no Brasil, informa a plataforma de compartilhamento de vídeos

O blogueiro bolsonarista disseminador de fake news em prol do governo do presidente teve mais um canal no YouTube removido pala plataforma de compartilhamento de vídeos. O canal Artigo 220 saiu do ar por “ordem judicial” e “não está disponível” como estava até a última postagem do investigado, no dia 21.

O perfil Terça Livre e a conta de Santos no Instagram também saíram do ar pelo mesmo por decisão do ministro do STF, Alexandre de Moraes. De acordo com o g1, o Google informou, em nota, que o canal foi removido “em cumprimento a uma decisão proferida em processo judicial sob segredo de Justiça“.

No Telegram, o blogueiro disse que a remoção acontece apenas no Brasil: “Aos seguidores brasileiros, infelizmente o canal não estará disponível para vocês. Para quem estiver fora do Brasil, nossos vídeos continuarão”. Allan dos Santos ainda disse que “é lamentável para nós ver a corte brasileira ANULANDO o Artigo 220 da Constituição“. Ele se referiu a um trecho que defende a livre manifestação do pensamento.

Duas contas de Allan dos Santos, conhecido como o blogueiro das fake news nas redes sociais progressistas por ser investigado em dois inquéritos que apuram disseminação de mentiras, ameaças a autoridades e atuação de uma milícia digital que ataca as instituições, também foram removidas.

Um dos perfis excluído é pessoal e a outra conta é a do canal que ele mantém nas redes sociais, o Terça Livre. A plataforma informou à TV Globo que “bloqueou as contas para atender a uma ordem judicial proveniente do Supremo Tribunal Federal“.

Na quarta-feira (22), Alexandre de Moraes mandou buscar Allan dos Santos nos EUA determinando sua prisão preventiva no Brasil. Ele aguarda o processo de extradição. O blogueiro, segundo o texto do despacho do ministro do STF, “integra organização criminosa voltada à prática dos crimes de ameaça, incitação à prática de crimes, calúnia, difamação, injúria e outros, com o objetivo de auferir vantagem econômica oriunda da monetização e de doações e tendo como consequência a desestabilização do Estado Democrático de Direito’’.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro afirmou, na mesma plataforma, nesta sexta-feira (22), que “a constituição vai a favor do jornalista Allan dos Santos“. Segundo o parlamentar, “o art. 5º, LII, prevê que “não será concedida extradição de estrangeiro por crime político ou de opinião”“.

O blogueiro disse, na quinta-feira (21), em seu site Terça Livre, que vai se entregar se a Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal) atender ao despacho de Moraes, que deve ser incluído na difusão vermelha da Interpol, dedicada a localizar foragidos no exterior.

O pedido de Alexandre de Moraes precisa ser acatado pela Interpol. Uma vez acatado, eu mesmo faço questão de me apresentar onde for“, disse.

Paulo Pimenta, deputado federal pelo PT-RS, chamou Allan dos Santos de “picareta“, por ele ter criado um site para “pedir dinheiro para seguidores“, “enquanto não é deportado“.

Segundo publicação no DCM, “no site ‘allandossantos.com’, o blogueiro anuncia seu “trabalho por apenas $10 doláres mensais”.

Imagem reprodução
Comente