Alesp cassa Mamae Falei, que perde direitos políticos e pode ficar inelegível por 8 anos

Siga Urbs Magna no Google Notícias

73 deputados foram unânimes em concordar que Arthur do Val extrapolou nos áudios vazados sobre mulheres fáceis na Ucrânia

A Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) votou pela cassação e perda dos direitos políticos do ex-deputado Arthur do Val (União Brasil), vulgo “Mamãe Falei”, nesta terça-feira (17/5). 73 deputados foram unânimes no pensamento de que Do Val extrapolou nos áudios vazados sobre mulheres fáceis na Ucrânia. Agora, para evitar ficar inelegível por oito anos, Mamãe Falei deve recorrer.

O agora ex-deputado é membro do MBL (Movimento Brasil Livre) e foi cassado após ter ido para a Ucrânia com outro integrante, onde realizou uma série de áudios em um grupo de WhatsApp, que acabou vazando para a imprensa.

O ex-parlamentar usou palavras vulgares ao afirmar que refugiadas ucranianas são “fáceis porque são pobres”. Do Val havia acabado de cruzar a fronteira da Ucrânia com a Eslováquia e disse que a fila das refugiadas só tinha “deusa” e que “a fila da melhor balada do Brasil, na melhor época do ano, não chega aos pés” da fila de refugiadas.

Após a repercussão das mensagens, o político, que estava filiado ao Podemos e era pré-candidato do partido ao governo paulista, retirou a candidatura, deixou a sigla e se licenciou do MBL.

Até então, a intenção era que ele atuasse como um palanque para o ex-juiz Sergio Moro em São Paulo.

Comente

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.