Não resta mais dúvida. A Operação Lava Jato é a maior Organização Criminosa da história de nossa República

30/11/2019 2 Por Dino Barsa
Não resta mais dúvida. A Operação Lava Jato é a maior Organização Criminosa da história de nossa República

Após a nova bomba envolvendo a operação de Moro e Dallagnol, publicada na madrugada deste sábado pelo site UOL, sobre procuradoria da República do Paraná ter aceitado suborno de doleiro, fica difícil dizer se há ORCRIM maior do que a dos envolvidos na Força-Tarefa de Curitiba


Messer afirma em diálogo que pagou propina a procurador da Lava Jato no PR, publicou o site UOL no início da madrugada deste sábado. O procurador seria Januário Paludo, autor do grupo de conversa entre procuradores ‘Filhos de Januário’ que teve diálogos vazados pelo The Intercept


WHATSAPP

TELEGRAM
Receba nossas NOTÍCIAS.
Acesse e siga as INSTRUÇÕES
Receba nossas NOTÍCIAS.
Acesse e siga NOSSO CANAL

Se Januário Paludo aceitou mesmo o suborno do ‘doleiro dos doleiros’ Dario Messer, então o procurador e seus ‘Filhos’ são todos corruptos mesmo e não resta mais dúvida alguma, após todas as conversas que o site de Glenn Greenwald teve acesso, de que a Lava Jato é a maior Organização Criminosa da história da nossa República.





LEIA TAMBÉM:
A Petrobras pede desculpas a ‘inocentes perseguidos’ pela Lava Jato – a Lula também?
Lula ainda pode voltar a ficar elegível e a briga entre instâncias inferiores e o STF deve ajudar – Entenda
Gebran do TRF-4, que aumentou pena de Lula, tem suspeição óbvia por diálogos impróprios com procuradores do MPF revelados no Intercept


Para complicar a vida dos integrantes deste ‘bando’ do judiciário, a matéria publicada no UOL diz que a Polícia Federal considera o assunto grave e que vai apurar.

E por falar em bando, recentemente o TRF-4 resolveu amplificar a condenação de Lula para 17 anos, em decisão puramente teatral, depois que o STF votou pela não prisão após condenação em segunda instância, tendo o primeiro tribunal demonstrado puramente a insatisfação com a soltura do ex-presidente por parte das instâncias inferiores em conluio com o neoliberalismo.

Anúncios