Ampliação da pena de Lula no TRF-4 foi programada para que sua inelegibilidade seja válida até 1 dia após a eleição de 2022, calcula leitor

30/11/2019 1 Por Redação Urbs Magna
Ampliação da pena de Lula no TRF-4 foi programada para que sua inelegibilidade seja válida até 1 dia após a eleição de 2022, calcula leitor

Cálculos feitos a partir da extensão da pena em 17 anos, 1 mês e 10 dias, mostram que o ex-presidente fica impedido de se candidatar até 03 de outubro do ano do pleito, o que corresponde ao dia seguinte


Segundo publicação do jornal O Estado de São Paulo desta sexta (28), “desembargadores federais seguiram a linha da decisão do STF em julgamento, no sentido de que há pré-requisitos para anular sentenças”


WHATSAPP

TELEGRAM
Receba nossas NOTÍCIAS.
Acesse e siga as INSTRUÇÕES
Receba nossas NOTÍCIAS.
Acesse e siga NOSSO CANAL

Ainda segundo o jornal, em primeiro lugar, “seria necessário que o delatado tivesse protestado no momento em que as alegações finais foram apresentadas. Isso não aconteceu no caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.”

Quem assina a publicação é Gustavo Badaró, professor de Direito Processual Penal na Universidade de São Paulo (USP). Badaró diz que, além do descrito acima, “toda nulidade de sentença necessita da comprovação de um prejuízo ao réu, e caberia à defesa de Lula comprová-lo”.

Segundo o professor, “se o delator tivesse utilizado um argumento novo em suas alegações, e dessa forma surpreendido a defesa, haveria um prejuízo claro. Os três desembargadores consideraram que esse aspecto não foi demonstrado”. 





LEIA TAMBÉM:
A Petrobras pede desculpas a ‘inocentes perseguidos’ pela Lava Jato – a Lula também?
Lula ainda pode voltar a ficar elegível e a briga entre instâncias inferiores e o STF deve ajudar – Entenda
Gebran do TRF-4, que aumentou pena de Lula, tem suspeição óbvia por diálogos impróprios com procuradores do MPF revelados no Intercept


O autor da matéria continua dizendo que “essa situação seria dramática caso o STF não tivesse alterado seu entendimento sobre cumprimento de pena a partir de condenação em segunda instância“. E que “isso faria com que o prognóstico para uma progressão de regime se alongasse muito no tempo”. 

O professsor da USP apresenta o outro lado, onde “Lula agora é considerado inelegível por força de condenações em órgãos colegiados em dois processos separados. E Para afastar a inelegibilidade, ele passa a ter de derrubar uma nova condenação pela segunda vez, e por um segundo motivo.” 

Entretanto, circula na web uma conta que muita gente já fez, onde vemos que ampliação da pena de Lula para 17 anos, 1 mês e 10 dias foi totalmente calculada para estender a inelegibilidade do ex-presidente até o ano de 2022, quando ocorre a próxima eleição presidencial. Veja abaixo:

Se fizermos as contas, veremos que a ampliação da pena de Lula para 17 anos, 1 mês e 10 dias resultaria em prisão até a data de 06/01/2037, ou seja, 6.250 dias. Contudo, para 1/6 deste total temos o resultado de 1.041 dias a partir da data de sua nova condenação no TRF-4 em 27/11/2019. Por fim, somando-se a esta última data os 1.041 dias que corresponde a 1/6 da pena, viajamos até 03/10/2022 (1 dia depois das eleições presidenciais, que será no domingo 02/10/2022.

Anúncios