‘O TRAIDOR VAGABUNDO’ – estrelando BOLSONARO: Traídos pelo presidente querem se vingar: O dito ‘mito’ vai deixando um rastro de ressentimentos e de novos e perigosos inimigos

18/10/2019 0 Por Redação Urbs Magna
‘O TRAIDOR VAGABUNDO’ – estrelando BOLSONARO: Traídos pelo presidente querem se vingar: O dito ‘mito’ vai deixando um rastro de ressentimentos e de novos e perigosos inimigos

Muitos já o abandonaram. Agora, rompeu até com dois dos seus principais capangas na Câmara dos Deputados, Joice Hasselmann e delegado Waldir. E chegará a um ponto em que só faltará romper consigo mesmo. Joice e Waldir prometem se vingar. Alguém adivinha como será essa vingança?


Bolsonaro chegará a um ponto em que só faltará romper consigo mesmo. Agora, rompeu até com dois dos seus principais capangas na Câmara dos Deputados, Joice Hasselmann e delegado Valdir, que prometem se vingar. Alguém adivinha como será essa vingança?



WHATSAPP

TELEGRAM
Receba nossas NOTÍCIAS.
Acesse e siga as INSTRUÇÕES
Receba nossas NOTÍCIAS.
Acesse e siga NOSSO CANAL

De rompimento em rompimento, Bolsonaro vai deixando um rastro de ressentimentos e de novos – e perigosos – inimigos.



Agora, conseguiu romper até com Joice Hasselmann, líder do governo na Congresso, e com o delegado Valdir, líder do PSL na Câmara



Acha pouco? Pois Bolsonaro rompeu até com o seu próprio partido. Começou atacando o presidente do PSL, Luciano Bivar, e acabou com um pé fora de um dos poucos partidos que o aceitaria.



Ainda está achando pouco? Pois Bolsonaro é rejeitado para ingressar em qualquer partido importante do país. Segundo matéria da Folha, um dirigente de um grande partido disse que acolher Bolsonaro é contratar o título de “Bivar do amanhã”.




Ninguém quer nada com um traíra.

Por conta disso, Joice Hasselmann e o líder traído do PSL na Câmara prometem se vingar. Delegado Valdir disse que irá “implodir” Bolsonaro usando uma “gravação”:

Eu vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele. Eu tenho a gravação. Não tem conversa, não tem conversa. Eu implodo o presidente. Acabou o cara. Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo. Eu votei nessa porra. Eu andei, no sol, 246 cidades gritando o nome desse vagabundo.”



Apesar de Michel Temer ter tido popularidade muito menor que a de Dilma Rousseff antes de cair, ele era benquisto pelo Congresso e ninguém conseguiu derrubá-lo mesmo havendo muitas provas  de corrupção contra ele. Com Bolsonaro, é o inverso. O Congresso o odeia.




O problema mais imediato de Bolsonaro é a governabilidade. Visto como trairá por 9 entre 10 parlamentares, terá dificuldade crescente de aprovar projetos. E quando sua popularidade cair bastante, diferentemente de Temer dificilmente parte relevante da Câmara o protegerá.


via BLOG DA CIDADANIA


SIGA Et Urbs Magna

FacebookTwitterInstagram
Anúncios