Preta Ferreira, presa política há 100 dias, tem habeas corpus concedido pelo TJ-SP

10/10/2019 1 Por Redação Urbs Magna
Preta Ferreira, presa política há 100 dias, tem habeas corpus concedido pelo TJ-SP

Líder da luta por moradia em São Paulo, cuja prisão foi símbolo do arbítrio e da intimidação aos movimentos sociais, teve habeas corpus concedido nesta quinta-feira 10 e voltará para casa, após mais de três meses na cadeia sem provas


Uma das lideranças do movimento por moradia em São Paulo, Preta Ferreira, como é conhecida Janice Ferreira da Silva, teve concedido nesta quinta-feira 10 um habeas corpus pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), após mais de 100 dias presa sem provas.


continua após a seção abaixo:


LEIA TAMBÉM outras notícias deste Domingo, 20/10/2019
1) Lula aguarda STF e já faz plano de caravanas pelo país caso deixe a prisão neste ano
2) Sob a Amazônia desassistida por Bolsonaro, Papa Francisco pode criar o ‘Pecado Ecológico’
3) Adélio Bispo quer falar para não morrer – “Com as eleições de 2020 chegando, é preciso dar um fim logo em Adélio”


Também serão soltos o educador Sidney Ferreira da Silva e também a Maria do Planalto. Os três integram o movimento dos sem moradia e estão detidos desde 24 de junho.

Relembre aqui entrevista exclusiva concedida por ela ao Brasil de Fato no dia 9 de setembro, da prisão, quando já estava presa há mais de 70 dias. “Onde está a Justiça?”, indagou Preta Ferreira na ocasião, afirmando ainda que sua prisão era uma tentativa de criminalizar a luta por moradia.


continua após a seção abaixo:



Abaixo, comunicado divulgado pelo MSTC – Movimento Sem Teto do Centro:

Justiça de São Paulo concede liberdade a Preta Ferreira
Em julgamento nesta quinta, Tribunal de Justiça de São Paulo concedeu habeas corpus à cantora, encarcerada há mais de cem dias   

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) concedeu, nesta quinta (10), habeas corpus para a cantora e produtora cultural, Preta Ferreira, e seu irmão, Sidney Ferreira. Presos desde 24 junho, em razão de denúncia do Ministério Público contra uma série de ativistas por moradia em São Paulo, os irmãos poderão, agora, responder o processo em liberdade, seguindo algumas medidas cautelares.   

via Brasil 247

SIGA Et Urbs Magna

FacebookTwitterInstagram
Anúncios