Relação entre Barroso e Deltan revela promiscuidade no STF

26/09/2019 0 Por Redação Urbs Magna
Relação entre Barroso e Deltan revela promiscuidade no STF

O editor do Tijolaço avalia que Luis Roberto Barroso teve uma atitude no mínimo indecorosa e suja para um ministro de corte suprema ao se comportar como “babá do Deltan”


Por Fernando Brito, editor do Tijolaço


Os diálogos entre Deltan Dallagnol e outros integrantes da Força Tarefa da Lava Jato, descobertos pelo The Intercept e revelados hoje por Reinaldo Azevedo dizem menos sobre estes, que a esta altura sabemos que não têm nenhum limite ético ou legal na condução dos casos sob sua responsabilidade funcional, do que sobre o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal.

Sim, eles se envolvem abertamente numa movimentação em torno de quem substituiria o falecido Teori Zavascki como relator da Lava Jato. Algo, portanto, que era completamente alheio às suas atribuições e prerrogativas funcionais:

12:11:18 – CarolPGR: Deltan, fale com Barroso
12:11:37- CarolPGR: insista para ele ir pra 2 Turma
12:18:07- Deltan: Há infos novas? E Fachin?
12:18:11- Deltan: Ele seria ótimo
13:54:21- CarolPGR: Vai ser definido hj
13:54:33- CarolPGR: Fachin não eh ruim mas não eh bom como Barroso
13:54:44 – CarolPGR: Mas nunca se sabe quem será sorteado
13:56:40- CarolPGR: Barroso tinha q entrar nessa briga. Ele não tem rabo preso. Eh uma oportunidade dele mostrar o trabalho dele. Os outros ministros devem ter ciúmes dele, pq sabem que ele brilharia na LJ. Ele tem que ser forte e corajoso. Ele pode pedir p ir p 2 turma e ninguém pode impedi-lo. Vão achar ruim mas paciência, ele teria feito a parte dele
14:11:37 – Deltan: Ele ficou alijado de todo processo. Ninguém consultou ele em nenhum momento. Há poréns na visão dele em ir, mas insisti com um pedido final. É possível, mas improvável.

Em vários trechos – veja a matéria no Blog de Reinaldo Azevedo – fica evidente a troca de informações e opiniões entre Barroso e a Força Tarefa e não é um contato meramente “social” mas uma verdadeira coabitação entre quem produzia acusações que seriam, afinal, submetidas ao julgamento do STF.

Mas ia além disso: até nas ações contra personagens que não estavam na Lava Jato, a condição de “soldados de Barroso” é invocada por Dallagnol sobre seus comandados, como no caso das denuncias sobre Michel Temer: “Barroso foi para guerra aberta. E conta conosco como tropa auxiliar”.

Releve-se o fato de que, quando aos Curitiba Boys não há novidade no seu agir indecoroso.

Mas não em relação a Barroso, com uma atitude no mínimo indecorosa e suja para um ministro de corte suprema.

Num Supremo apequenado, ainda assim, consegue miniaturizar-se.

Não se espantem se vier a ser apelidado de “O babá do Deltan”.

Anúncios