Juiz que prendeu Pinochet confirma: Lula foi alvo de perseguição política

26/09/2019 0 Por Redação Urbs Magna
Juiz que prendeu Pinochet confirma: Lula foi alvo de perseguição política

Ex-juiz espanhol Baltasar Garzón, que está no Brasil e deve visitar o ex-presidente nesta quinta-feira 26, afirma que “Lula foi alvo de perseguição política para neutralizá-lo como ator político que claramente estava nas preferências do povo”. Para Garzón, “essa suspeita de parcialidade contamina praticamente tudo”


O ex-juiz espanhol Baltasar Garzón, cujo nome ganhou repercussão internacional em 1998, quando decretou a prisão do ditador chileno Augusto Pinochet, colocou em xeque todo o processo que condenou o ex-presidente Lula, apontou sua parcialidade e disse que o petista é alvo de perseguição política

“Lula foi alvo de perseguição política para neutralizá-lo como ator político que claramente estava nas preferências do povo. E isso não acontece por acaso”, declarou em entrevista ao portal iG. Para ele, “essa suspeita de parcialidade contamina praticamente tudo”.

“Eu já disse há muito tempo que considerava que Lula não estava apenas sendo tratado injustamente, mas também perseguido politicamente. Agora, com as  revelações de certos comportamentos e comunicações entre instituições que precisavam estar separadas em seu desenvolvimento processual, ganham crédito as dúvidas que alguns de nós expusemos. Portanto, acredito que  Lula foi alvo de perseguição política para neutralizá-lo como ator político, que claramente estava nas preferências do povo. E isso não acontece por acaso”, disse.

“Essa suspeita de parcialidade contamina praticamente tudo. E a isso contribui ainda mais se quem defendeu esta investigação obtiver um cargo no Executivo do principal beneficiário. A parte interessada provavelmente deveria ter dito “não” quando essa posição política foi sugerida, porque ele teria mostrado que uma coisa é ação judicial e outra é ação política. Se ele não o fez, é provavelmente porque ele não podia fazer ou porque ele não queria fazer. Isso é questionável”, declarou ainda.

Garzón está no Brasil para participar de um evento em São Paulo que discutirá os resultados da Comissão Nacional da Verdade. Nesta quinta-feira 26, viajará a Curitiba para visitar Lula, preso na Superintendência da Polícia Federal.

Via Portal Ig / Brasil 247

Anúncios