Jornalista descobre condomínio que liga o escândalo no Paraguai a Bolsonaro

16/09/2019 0 Por Redação Urbs Magna
Jornalista descobre condomínio que liga o escândalo no Paraguai a Bolsonaro

O jornalista Pedro Zambara, do Diário do Centro do Mundo, encontrou o condomínio que liga Bolsonaro e o PSL diretamente ao escândalo do Itaipugate que ameaça derrubar o presidente do Paraguai


A Comissão de Relações Exteriores do Senado instalou no dia 10 de setembro uma subcomissão para investigar o escândalo do tratado secreto entre os presidentes Jair Bolsonaro e Mario Abdo Benitez, em torno da hidrelétrica de Itaipu. O relator é o senador petista Jaques Wagner e a subcomissão terá 60 dias para concluir seus trabalhos — prazo que poderá ser prorrogado por igual período.


Continua após o anúncio


O grupo vai investigar a empresa beneficiada pelo acordo, a Léros, e o suplente do Major Olímpio, o empresário Alexandre Luiz Giordano.

Reportagem da revista Piauí publicada no dia 9 informa que Giordano se apresentava tanto como representante da Léros quanto do próprio governo Bolsonaro. A Léros tinha interesse na venda de energia excedente do Paraguai no mercado brasileiro.

No acordo, essa venda não deixa ser exclusividade da estatal de energia paraguaia, a Ande, em parceria com a estatal brasileira do setor, a Eletrobras.

O Grupo Léros, que explora uma jazida de nióbio, tem um braço que opera na área de compra e venda de energia.

Dirigentes da estatal paraguaia caíram depois do acordo e a revelação de seus termos por pouco não levou ao impeachment do presidente Mario Abdo Benitez.

O Diário do Centro do Mundo publicou há uma semana, com exclusividade, um perfil do empresário Giordano, com base nas informações de amigos próximos dele. Essas fontes relataram que o empresário enriqueceu em 10 anos com seis empresas e proximidade com políticos, de diferentes orientações ideológicas.

Ele conseguiu contratos públicos na prefeitura de Marta Suplicy, ganhou proximidade com os tucanos Bruno Covas e José Aníbal e, por fim, chegou até a família Bolsonaro, quando se tornou suplente na chapa do senador Major Olímpio.

Um dos elos entre Giordano e a família Bolsonaro se deu através da sede do PSL em São Paulo, que é presidido pelo deputado Eduardo, o 03 de Jair.

Leia a matéria completa e documentos no Diário do Centro do Mundo

O ⁦@pedrozambarda⁩ foi ao endereço de duas firmas do empresário brasileiro que está no centro do escândalo de corrupção que ameaça o presidente do Paraguai. Elas estavam indicadas no mesmo prédio do PSL comandado por Eduardo Bolsonaro em São Paulo. https://t.co/5dmkyUdCyp

— Leandro Demori (@demori) September 15, 2019

via DCM / A Postagem


SIGA Et Urbs Magna

FacebookTwitterInstagram
Anúncios