CONDENAÇÃO DE HADDAD: O judiciário limpa o caminho para o PSDB em caso de cassação de Bolsonaro

22/08/2019 0 Por Redação Urbs Magna
CONDENAÇÃO DE HADDAD: O judiciário limpa o caminho para o PSDB em caso de cassação de Bolsonaro

A condenação esdrúxula de Haddad, por um crime que nem estava no escopo da denúncia, cujo delator se provou estar mentindo, parece ter um único e claro objeto, limpar o caminho para o PSDB, em possíveis eleições suplementares


A simples retomada do inquérito que investiga o financiamento ilegal de campanha e fraude eleitoral de Bolsonaro, indica não só uma possibilidade mas, o enfraquecimento do governo e a dissolução do apoio popular diante das constantes quebras de decoro do presidente. Como o impeachment não resolveria e prejudicara a imagem do país internacionalmente, a solução por uma nova eleição, derrubando a chapa Bolsonaro/Mourão por Fake News seria uma saída honrosa e inovadora para o Brasil, em relação à sua imagem para o mundo.



Outro indicativo dessa possibilidade é o movimento mais claro de João Dória, em afastamento crítico em relação a Bolsonaro. Hoje, uma entrevista à Folha, do novo dono do PSDB, esclareceu bastante sobre seu posicionamento que busca enterrar de vez o “Bolsodória”, muito útil nas eleições de 2018.

O que o judiciário, que em geral é tucano, erra categoricamente é que não adianta que haja inúmeras eleições com aparência de legalidade. A fraude está aí e não é somente em relação a Fernando Haddad mas, em relação ao ex-presidente Lula que venceria qualquer pleito, em primeiro turno.

Se eleições existem para exprimir o desejo popular, qual seria o sentido de eliminar o preferido da população, neste caso Lula, e depois eliminar o segundo colocado, que venceria uma possível eleição suplementar, neste caso, Haddad?

O Brasil se encalacra em um judiciário que decidiu escolher quem o povo pode ou não votar, o que transforma a democracia em uma espécie de liberdade tutelada, ou democracia judicial. Lula venceria e foi preso, Haddad venceria uma eleição suplementar e teve prisão decretada, em caso de caixa 2 que não é crime e não leva à prisão. Tudo continuará piorando e muito, enquanto a vontade democrática não for respeitada.

via Folha de São Paulo / A Postagem


SIGA Et Urbs Magna

FacebookTwitterInstagram
Anúncios