Bolsonaro sugere fazer cocô dia sim, dia não para preservar o ambiente – (Quem fizer todo dia será multado?)

09/08/2019 0 Por Redação Urbs Magna
Bolsonaro sugere fazer cocô dia sim, dia não para preservar o ambiente –  (Quem fizer todo dia será multado?)

Ele também disse que a quantidade de filhos de uma família é inversamente proporcional à formação cultural dos pais; pai de cinco, ele se diz uma exceção


O presidente Jair Bolsonaro (PSL) sugeriu nesta sexta-feira (8) que um repórter “fizesse cocô dia sim, dia não” para melhorar a preservação do ambiente


É só você deixar de comer menos um pouquinho. Você fala para mim em poluição ambiental. É só você fazer cocô dia sim, dia não, que melhora bastante a nossa vida também. Agora, o mundo, quando eu falei que cresce mais de 70 milhões por ano, precisa de uma política de planejamento familiar. Não é controle não, você vai ler na capa da Folha amanhã que eu to dizendo que tem que ter controle de natalidade”, disse, ao sair do Palácio da Alvorada.

A declaração foi feita em resposta a uma pergunta sobre como o presidente acredita que é possível conciliar preservação ambiental ao crescimento econômico. 

Bolsonaro também defendeu o planejamento familiar para que haja uma diminuição da população na Terra e, com isso, menos poluição. O presidente disse que a quantidade de filhos de uma família é inversamente proporcional à formação cultural dos pais. Pai de cinco, ele se apresentou como “exceção”. 

“Você olha que as pessoas que têm mais cultura, têm menos filhos. Eu sou uma exceção à regra, tenho cinco. Mas como regra é isso.”

O presidente defendeu o agronegócio e disse que as críticas às políticas de seu governo são, em parte, fruto de propaganda errada. 

“E por outro lado, [há] a propaganda negativa. Chamam a ministra Tereza Cristina de a ‘Rainha do Veneno’. Porque, por trabalho dela também junto com a Câmara, liberamos mais uma centena de produtos que vão fazer bem para o agronegócio, deixando para trás outros tipos de combate a pragas no campo. Estamos evoluindo. Por que essa pressão agora? É a guerra comercial. Por que a pressão enorme sobre a Amazônia? Porque eles querem a Amazônia, pô. Ninguém chama uma menina de feia se ela não é bonita.”

via Folha de São Paulo

SIGA Et Urbs Magna

FacebookTwitterInstagram
FAÇA UMA DOAÇÃO AO SITE
Clique na imagem e veja como você pode ajudar o Et Urbs Magna
Anúncios