Criminoso, Dallagnol tenta fazer pontes com Dodge e STF, acusa MPF – crise se agrava

04/08/2019 2 Por Redação Urbs Magna
Criminoso, Dallagnol tenta fazer pontes com Dodge e STF, acusa MPF – crise se agrava

Integrantes do MPF relatam tentativa de Deltan de fazer pontes com Dodge e STF


publicado na Folha de São Paulo em 4.ago.2019 às 2h00


O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal do Paraná. (Foto: Heuler Andrey/DiaEsportivo /Agência O Globo)

Integrantes da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba fizeram chegar à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, um pedido de ajuda. Depois da revelação da Folha e do The Intercept de que o coordenador da operação no Paraná, Deltan Dallagnol, incentivou um cerco ao presidente do Supremo, Dias Toffoli, aliados do procurador pediram que Dodge intermediasse conversas com ministros do STF. Segundo relatos, ela foi evasiva. Respondeu que não parecia necessário.


Ministros do STF reconhecem que Dodge vive situação delicada, entre o apoio à sua categoria e o risco de atrair para a PGR a fúria que tomou um grupo do tribunal desde que as mensagens de Dallagnol, outros procuradores e o ministro Sergio Moro (Justiça) começaram a vazar.

A expectativa é a de que ela não aja de ofício contra Dallagnol e de que também vote contra investigação e punição a ele no Conselho Nacional do Ministério Público –mas ciente de que deve ser voto vencido.

A procuradora-geral começou a reunir argumentos para manifestação contra trecho da decisão do ministro Alexandre de Moraes que determinou o afastamento de auditores da Receita e suspendeu processos de investigação no órgão sobre 133 contribuintes. Ela deve recorrer nestes pontos.

Ministros do STF conversaram muito sobre as mensagens que mostram a ação de Dallagnol nos assuntos que dizem respeito a Toffoli. Um deles se disse impressionado com a falta de liturgia com que o endereço do hoje presidente do Supremo foi repassado a investigadores da primeira instância pelo gabinete de Rodrigo Janot.

Um subprocurador-geral com décadas de atuação no Ministério Público Federal tem dito que, “em todas as vezes que viu a magistratura entrar em choque com a Procuradoria, foi o segundo grupo quem saiu chamuscado”.

Há uma preocupação entre partidários de Sergio Moro com o agravamento da situação política de Dallagnol. O que bate em um bate no outro, avaliam esses apoiadores. Se a ideia de que o procurador atravessou o rubicão se fixar na maioria do Supremo, isso restringirá ainda mais o acesso que o ministro da Justiça tem à corte.

SIGA Et Urbs Magna

FacebookTwitterInstagram

via Folha de São Paulo

FAÇA UMA DOAÇÃO AO SITE
Clique na imagem e veja como você pode ajudar o Et Urbs Magna
Anúncios