Em nota, PDT chama Tabata Amaral de traidora: “…voto configura uma traição não apenas aos princípios do Partido, mas sobretudo ao povo trabalhador…”

11/07/2019 1 Por Redação Urbs Magna
Em nota, PDT chama Tabata Amaral de traidora: “…voto configura uma traição não apenas aos princípios do Partido, mas sobretudo ao povo trabalhador…”

Leia a íntegra da nota da Juventude Socialista do Partido Democrático Trabalhista (PDT) do Estado de São Paulo:

“No Congresso, recolheremos, através de nossas bases, as grandes aspirações e definições da vontade popular.

Com o Congresso, continuaremos firmemente, sob a inspiração da Carta Testamento do Presidente Getúlio Vargas, a caminhada junto ao povo que nos levará à emancipação da Pátria.” Esse é o excerto da carta de Lisboa, que marca a refundação de nosso partido e que sintetiza a razão da nossa existência: atender aos clamores do nosso povo, pois como bem lembra o nosso líder Ciro Gomes: devemos confiar na inteligência do nosso povo.

Nós da Juventude Socialista do Partido Democrático Trabalhista do estado de São Paulo manifestamos por meio dessa nota o nosso repúdio e indignação com o voto favorável, da Deputada Tabata Amaral (PDT-SP), à PEC 006/2019, conhecida como Reforma da Previdência.

Esse voto configura uma traição não apenas aos princípios do Partido, mas sobretudo ao povo trabalhador brasileiro, que sofrerá em sua carne as consequências desses ataques brutais que atentam contra a dignidade da pessoa humana.

O princípio da Previdência e da Seguridade Social foi preservado até mesmo durante os anos de chumbo inaugurados pela ditadura civil-militar, que foi um golpe não somente contra o Brasil, mas principalmente contra os trabalhistas ilustrados nas figuras de Jango e Brizola.

O apoio a essa reforma envergonha, angustia, decepciona, constrange e revolta a jovem militância do PDT, causando feridas irreversíveis em nossos sonhos e na nossa luta política.

Nossa Juventude abraçou desde o primeiro momento a sua campanha, pois confiamos que seus sonhos eram os nossos sonhos para levar o legado de Brizola e Darcy Ribeiro de uma educação emancipadora ao Congresso Nacional. Porém, FOMOS TRAÍDOS.

A deputada escolheu o lado daqueles que são contra os trabalhadores, os professores e contra a nossa própria história, ou seja, provou que não honra os princípios, valores e ideias que direcionam a caminhada do nosso partido.

Portanto, por desrespeitar a resolução da última Convenção Nacional do PDT de se votar contra a Reforma da Previdência, exigimos a sua imediata saída do partido com o qual jamais teve compromisso, renunciando às suas bases partidárias e os seus eleitores. Caso contrário, protocolaremos o pedido de sua expulsão sumária por infidelidade partidária.

“Nossos caminhos são pacíficos, nossos métodos democráticos. Mas se nos intentam impedir, só Deus sabe nossa obstinação.”

JUVENTUDE SOCIALISTA DO ESTADO DE SÃO PAULO.

via JS PDT

Anúncios