Quem são os 10 procuradores citados pelo ‘The Intercept’ – Leia suas conversas no Telegram

12 12-03:00 junho 12-03:00 2019 3 Por Redação Urbs Magna
Quem são os 10 procuradores citados pelo ‘The Intercept’ – Leia suas conversas no Telegram

Veja quem são e as conversas dos 10 procuradores da Lava Jato citados em vazamento – Mensagens divulgadas pelo The Intercept Brasil mostram reações da força-tarefa a entrevista de Lula

As conversas divulgadas pelo site The Intercept Brasil no domingo (9) incluem mensagens do ex-juiz Sergio Moro (atual ministro da Justiça) e de dez procuradores que atuavam na força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, liderada por Deltan Dallagnol.

Um deles, Carlos Fernando dos Santos Lima, se aposentou neste ano e não participa mais da equipe.

A maior parte das mensagens nos grupos entre os colegas procuradores trata da decisão, de setembro de 2018, do ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), de autorizar uma entrevista do ex-presidente Lula (PT), preso em Curitiba, à Folha.

Nas mensagens, os procuradores se mostram contrários à possibilidade de entrevista às vésperas da eleição presidencial.

A decisão foi posteriormente suspensa em liminar do também ministro do STF Luiz Fux. A entrevista acabou sendo autorizada somente em abril deste ano.

Veja quem são e o que conversaram os procuradores da força-tarefa da Lava Jato.

DELTAN DALLAGNOL 

Deltan Dallagnol – Folhapress

Quem é 
Procurador da República desde 2003, é o coordenador da força-tarefa da Lava Jato. É mestre em direito por Harvard. É especialista em lavagem de dinheiro e atuou no caso Banestado, operação que investigou evasão de divisas no Banco do Estado do Paraná e é considerada um embrião da Lava Jato.

Esteve à frente do projeto Dez Medidas Contra Corrupção e da ideia de criar uma fundação da Lava Jato para gerir R$ 2,5 bilhões da Petrobras, que foi criticado e não prosperou.

É filho de um promotor de Justiça e nasceu no interior do Paraná. Mesmo com imóvel em Curitiba, recebe auxílio moradia.

Tornou-se, ao lado do ex-juiz Sergio Moro, uma das caras da Lava Jato, participando de inúmeras palestras e eventos pelo país.

Foi ele que comentou a denúncia contra Lula, referente ao tríplex, usando um PowerPoint que ficou famoso.

Mensagens divulgadas
Deltan está no centro das trocas de mensagens divulgadas pelo The Intercept Brasil. Ele discute como os colegas, por exemplo, como será feita a denúncia contra Lula no caso do tríplex.

“Falarão que estamos acusando com base em notícia de jornal e indícios frágeis… então é um item que é bom que esteja bem amarrado. Fora esse item, até agora tenho receio da ligação entre petrobras e o enriquecimento, e depois que me falaram to com receio da história do apto… São pontos em que temos que ter as respostas ajustadas e na ponta da língua”.

Também troca uma série de mensagens como o então juiz Sergio Moro sobre operações da Lava Jato, alvos de delações, divulgação da conversa entre Lula e Dilma, processos específicos, apoio do público e recebe uma dica de investigação.

“Caro, favor não passar pra frente: (favor manter aqui): 9 presidentes (1 em exercício), 29 ministros (8 em exercício), 3 secretários federais, 34 senadores (21 em exercício), 82 deputados (41 em exercício), 63 governadores (11 em exercício), 17 deputados estaduais, 88 prefeitos e 15 vereadores […].”

LAURA TESSLER

Laura Gonçalves Tessler – Reprodução

Quem é 
Procuradora da República no Paraná, formada em direito pela Universidade Federal do Paraná. Passou a integrar a força-tarefa da Lava Jato em agosto de 2015. Dois anos depois, foi alvo de uma reclamação do então juiz Sergio Moro ao procurador Deltan Dallagnol por, na avaliação de Moro, atuar mal em inquirição em audiência.

Tessler trabalhou nas acusações contra membros da Odebrecht, que revelaram o esquema profissional de pagamento de propinas da empresa. Ela tomou depoimento de Marcelo Odebrecht sobre o tema.

Também investigou Antonio Palocci e a construção da Arena Corinthians.

Mensagens divulgadas
Além de ser objeto da mensagem de Moro a Dallagnol, em que o ex-juiz sugere conselhos e um treinamento a ela para que melhore sua inquirição, há mensagens da procuradora a respeito da decisão do ministro Ricardo Lewandowski, tomada em setembro de 2018, de autorizar entrevista de Lula à Folha.

“Que piada!!! Revoltante!!! Lá vai o cara fazer palanque na cadeia. Um verdadeiro circo. E depois de Mônica Bergamo, pela isonomia, devem vir tantos outros jornalistas… e a gente aqui fica só fazendo papel de palhaço com um Supremo desse… ”

Tessler diz que uma entrevista antes do segundo turno poderia eleger Fernando Haddad (PT). Também critica decisão da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de não se opor à entrevista.

“que palhaçada…adora jogar pra platéia…quer ganhar o apoio da imprensa ao nome dela”

ISABEL GROBA

Isabel Cristina Groba Vieira – Geraldo Bubniak/AGB

Quem é
No MPF desde 1996, é procuradora regional da República e atua há cerca de 20 anos na área de patrimônio público.

Antes de fazer parte da Lava Jato, integrou um grupo de trabalho da Procuradoria-Geral da República focado em ações de combate à corrupção e improbidade administrativa.

Ficou conhecida nas redes sociais após pedir ao ex-presidente Lula, em seu segundo interrogatório, que parasse de chamá-la de “querida”. “Eu lhe pediria que o senhor, ex-presidente, se referisse ao membro do Ministério Público pelo tratamento protocolar devido”, disse ela ao petista em setembro de 2017.

Na Lava Jato, atuou em desdobramentos como a Operação Sem Fundos, que investigou um esquema envolvendo a construção do prédio da Petrobras em Salvador (BA)

Mensagens divulgadas
Nas conversas vazadas, Groba comenta a decisão de Ricardo Lewandowski de autorizar a entrevista do ex-presidente Lula à Folha.

“Mafiosos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”

JANUÁRIO PALUDO

Januário Paludo – Divulgação

Quem é 
Procurador regional da República, é membro do MPF desde 1992. Atuou no caso Banestado, que teve Moro como juiz. A investigação sobre lavagem de dinheiro e evasão de divisas movimentou R$ 30 bilhões nos anos 1990 e é considerada um laboratório da Lava Jato.

Visto como mentor de Deltan Dallagnol e amigo do hoje ministro da Justiça, Paludo já fez defesas públicas dos dois. Nas redes sociais, costuma fazer críticas à atuação do Supremo Tribunal Federal.  

Como integrante da força-tarefa da Lava Jato, participou de investigações envolvendo o ex-ministro petista Antonio Palocci e o ex-deputado André Vargas.

Chegou a ser cotado para disputar a eleição da lista tríplice para a PGR, organizada pela Associação Nacional de Procuradores da República.

Mensagens divulgadas
Paludo aparece em dois momentos das mensagens vazadas. Na conversa sobre o pedido de entrevista ao ex-presidente Lula feito pela Folha, ele sugere estratégias para minimizar o impacto que a publicação poderia ter.

“Plano a: tentar recurso no próprio stf, possibilidade Zero. Plano b: abrir para todos fazerem a entrevista no mesmo dia. Vai ser uma zona mas diminui a chance da entrevista ser direcionada.”

Depois, comenta o pedido feito pelo Partido Novo para barrar a entrevista.

“Devemos agradecer à nossa PGR: Partido Novo!!!”

Em outra ocasião, Paludo fala em um grupo de procuradores sobre o contato com a jornalista Tatiana Farah de Mello. Ela é a autora de uma reportagem publicada em 2010 no jornal O Globo sobre o tríplex.

ATHAYDE COSTA

Athayde Ribeiro Costa – Reprodução

Quem é
É procurador da República desde 2008, tendo atuado no Amazonas até 2012. Antes disso, foi advogado e procurador federal da Advocacia-Geral da União. No MPF, atuou em Minas Gerais e no Espírito Santo. Também atuou em ações relativas à Copa do Mundo de 2014.

Naquele ano, passou a integrar a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. Esteve à frente da denúncia contra Romero Jucá (MDB) e interrogou Lula.

Mensagens divulgadas
Athayde Costa reagiu à decisão do ministro do STF Ricardo Lewandowski de autorizar uma entrevista de Lula à Folha em setembro de 2018.

“N tem data. So a pf agendar pra dps das eleicoes. Estara cumprindo a decisao
E se forcarem antes, desnuda ainda mais o carater eleitoreiro”

Também disse ser um absurdo a decisão da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de não se opor à entrevista.

“Ela ja ta pensando é na indicacao ao STF caso Hadadd ganhe”

O procurador aparece mais uma vez nas mensagens divulgadas pelo The Intercept Brasil ao alertar os colegas sobre a soltura do então diretor da Odebrecht, Alexandrino Alencar.

JÚLIO NORONHA 

Júlio Noronha – Reprodução

Quem é
No mês passado, assumiu a coordenação da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, ao lado do procurador Deltan Dallagnol. É procurador desde 2014 e faz parte das investigações da Lava Jato desde 2015. Antes disso, atuou em Rondônia.

Mensagens divulgadas
No grupo com procuradores, Júlio Noronha dá alternativas sobre a entrevista de Lula à Folha, autorizada pelo ministro do STF Ricardo Lewandowski.

“Como o Lewa já autorizou, acho que só há dois cenários: a) A entrevista só para a FSP, possivelmente com o “circo armado e preparado”; b) tentar ampliar para outros, para o “ciro” ser menor armado e preparado, com a chance de, com a possível confusão, não acontecer.”

PAULO GALVÃO

Paulo Roberto Galvão – Reprodução

Quem é
Com mestrado em direito pela London School of Economics and Political Science (LSE), Paulo Galvão é procurador da República desde 2004 e integra a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

Antes disso, foi defensor público da União e consultor legislativo da Câmara dos Deputados.

Mensagens divulgadas
Nas mensagens divulgadas pelo The Intercept Brasil, aparece sugerindo oferecer petição de entrevista com Lula para outros veículos, após a entrevista para a Folha ter sido autorizada em setembro de 2018.

“Passaram a petição da entrevista pro antagonista? Vcs querem passar p globo?”

ROBERSON POZZOBON

Roberson Henrique Pozzobon – Divulgação

Quem é
Procurador da República no Paraná desde 2012. Passou a integrar a investigação da Lava Jato em 2014, ano em que a força-tarefa estreou. Recentemente, atuou na investigação que levou Paulo Preto, apontado como operador do PSDB, à prisão.

É doutorando na Universidade Federal do Paraná e professor na Escola Superior do Ministério Público da União. Foi delegado de polícia antes de entrar no MPF. Segundo seu perfil em redes sociais, é aficionado por desafios e esportes radicais.

Mensagens divulgadas
Pozzobon elogia outro procurador pela iniciativa de conversar com a então repórter do Globo que escreveu reportagem sobre o tríplex em 2010. Em 2015, reagiu à notícia da soltura de Alexandrino Alencar, então diretor da Odebrecht, com um “PqP!”.

CARLOS FERNANDO DOS SANTOS LIMA

Carlos Fernando dos Santos Lima – Folhapress

Quem é
Veterano da força-tarefa da Lava Jato, era membro do Ministério Público desde 1995 e se aposentou neste ano, aos 55 anos de idade. Agora pretende atuar como advogado dando cursos e consultorias na área de compliance. Também já foi contratado por uma empresa de palestras.

O ex-procurador regional da República é mestre em direito pela Cornell Law School (EUA) e especialista em delação premiada.

Atuou no caso Banestado, operação que investigou evasão de divisas no Banco do Estado do Paraná e é considerada um embrião da Lava Jato.

Mensagens divulgadas
Quando os procuradores discutem a possibilidade de tomar o depoimento da então repórter do Globo que escreveu reportagem sobre o tríplex em 2010, ele desaconselha essa medida.

“Creio que tomar depoimento de jornalista não é conveniente.”

JERUSA BURMANN VIECILI

Jerusa Burmann Viecili – Reprodução

Quem é
É procuradora da República desde março de 2004. Antes disso, foi assessora no Tribunal de Justiça do RS. É especialista em processo civil pela PUC-SP.

Desde 2016 integra a força-tarefa da Lava Jato, onde foi responsável pelas investigações de corrupção na Transpetro.

Mensagens divulgadas
Reage com um emoji de desaprovação ao saber que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, não pretendia recorrer da decisão que autorizou Lula a dar entrevista

via Folha de São Paulo

Anúncios