Bonner “demite” Sérgio Moro ao vivo no Jornal Nacional

12/06/2019 0 Por Redação Urbs Magna
Bonner “demite” Sérgio Moro ao vivo no Jornal Nacional

Em meio ao escândalo das conversas reveladas entre Moro e procuradores, a imprensa tradicional parece, com os atos falhos, estar se acostumando com uma demissão do ex-juiz ao chamá-lo de “ex-ministro”; Estadão cometeu a mesma gafe no domingo (9)

Em meio ao escândalo instaurado com a revelação de conversas privadas que mostram o ministro Sérgio Moro em articulação supostamente ilegal com procuradores da Lava Jato para prender Lula, a mídia tradicional brasileira, que já defende um afastamento de Moro do Ministério da Justiça, vem cometendo gafes ao já chamá-lo de “ex-ministro”.

Nesta terça-feira (11), ao vivo no ‘Jornal Nacional’, da Globo, o apresentador William Bonner se referiu a Moro como “ex-ministro”.

Bonner “demitiu” o Sérgio Moro @SF_Moro e já o chamou no @jornalnacional hoje de ex-ministro pic.twitter.com/iGFLNQ7dZo

— Paulo Pimenta (@DeputadoFederal) 12 de junho de 2019

A mesma gafe foi cometida pelo Estadão no domingo (9), logo após as revelações trazidas pelo The Intercept Brasil. Em uma reportagem, o jornal também “demitiu” o ex-juiz de Curitiba.

Reprodução

Mídia tradicional sugere renúncia 

A edição desta terça-feira (11) de dois dos principais jornais do país, Folha de S. Paulo e Estadão, vieram com editoriais sugerindo, em meio ao escândalo, a renúncia de Moro.

Estadão diz que “causou compreensível estupefação o conteúdo” das conversas, que indicam uma “uma relação totalmente inadequada – e talvez ilegal – entre o magistrado e os procuradores da República, com implicações políticas e jurídicas ainda difíceis de mensurar”.

“Fariam bem o ministro e os procuradores envolvidos nesse escândalo, o primeiro, se renunciasse e, os outros, se se afastassem da força-tarefa, até que tudo se elucidasse”, opina o jornal.

Já a Folha de S.Paulo, diz que as “mensagens oriundas de ato ilícito mostram comportamento às raias da promiscuidade”.

“Não é forçando limites da lei que se debela a corrupção. Quando o devido processo não é estritamente seguido, só a delinquência vence”, afirma o texto, intitulado “Pelo devido processo”, ressaltando que não é de hoje que quem acompanha os meios jurídico e político observa a relação promíscua entre Moro e investigadores da Lava Jato.

via Revista Fórum

Anúncios