O mundo comenta crimes de Moro para condenar Lula – Mídia internacional já repercute caso da Lava Jato

10 10-03:00 junho 10-03:00 2019 1 Por Redação Urbs Magna
O mundo comenta crimes de Moro para condenar Lula – Mídia internacional já repercute caso da Lava Jato

Alguns meios internacionais reproduziram as revelações do portal The Intercept Brasil, horas depois de o caso ser conhecido no Brasil, e antes mesmo de alguns meios brasileiros.

Apesar de recém publicadas, as revelações do The Intercept Brasil sobre o esquema entre o juiz Sérgio Moro e os procuradores da Lava Jato (especialmente Deltan Dallagnol) para usar politicamente as ações da Operação Lava Jato já ganharam espaço também na imprensa internacional – talvez até mais rapidamente que no próprio Brasil.

Na Argentina, o canal de YouTube El Destape já está comentando o caso em seu programa dominical ao vivo, que pode ser acompanhado neste vídeo:

O site web do El Destape também já tem uma matéria sobre o caso, na qual não só reproduz os chats das operações entre o Ministério Público e o então juiz de Curitiba (hoje ministro da Justiça), como também alguns detalhes, como o fato de que alguns promotores confessavam que “rezavam para que o PT não voltasse ao poder”.

Em outros países, a Rádio ADN do Chile também repercute as reportagens, afirmando que “juiz e procuradores da Lava Jato coordenam ações para prender Lula”, e que entre as duas partes “não havia uma completa confiança nas provas” apresentadas contra o ex-presidente brasileiro.Veja também:  Conversas de Moro na #Vazajato colocam em xeque equidistância da Justiça, diz Marco Aurélio Mello

No México, o La Jornada publicou que “os promotores brasileiros ligados à Operação Lava Jato, liderados Deltan Dallagnoll, falaram abertamente sobre seu desejo de evitar que o Partido dos Trabajadores (PT) ganhasse a eleição presidencial de 2018”.

Já o canal TeleSur, com sede na Venezuela, conta que “documentos revelam o papel político da Lava Jato contra Lula”, e que “Sergio Moro colaborou ​​de forma secreta e anti ética com os promotores da operação para ajudar a montar a acusação”.

O jornal espanhol El Diario traz a notícia e diz que “as conversas privadas entre os agentes públicos que participaram da Operación Lava Jato coloca em dúvida a imparcialidade da investigação”.

via Revista Fórum

Anúncios