“Não sabe governar”, diz Míriam Leitão sobre Bolsonaro no jornal O Globo

22 22-03:00 maio 22-03:00 2019 0 Por Redação Urbs Magna
“Não sabe governar”, diz Míriam Leitão sobre Bolsonaro no jornal O Globo

Globo se mantém no ataque e Míriam Leitão faz artigo duro contra Bolsonaro: “Não sabe governar” – Artigo de Miriam Leitão no jornal O Globo mostra que não foram concretizadas as especulações de um acordo da família Marinho com Bolsonaro, que recebeu nesta terça-feira (21) o principal lobista da rede, Paulo Tonet

Um dia após Jair Bolsonaro (PSL) receber o vice-presidente de Relações Institucionais do grupo Globo, Paulo Tonet, no Palácio do Planalto, a família Marinho mostra que as especulações sobre um acordo não foram concretizadas e que não haverá trégua.

Na edição desta quarta-feira (22), Miriam Leitão, uma das principais porta-vozes do grupo, escreveu um duro artigo contra Bolsonaro, dizendo que o capitão repete os 28 anos que esteve no Congresso e que não sabe governar.

Em meio à defesa de bandeiras do sistema Globo, especialmente àquelas ligadas à política econômica neoliberal, Miriam Leitão diz que “a direita que o defendeu, e se surpreende agora com o péssimo desempenho da sua administração, demonstra, no arrependimento, a qualidade do próprio voto”, relata, defendendo que houve “opções à direita” que não colocariam o país nesta “brutal incerteza”.

“O fato é simples: o presidente Bolsonaro não sabe governar. É essa a razão da sua performance tão errática nestes quase cinco meses. Sua relação tumultuada com o Congresso não deriva de uma tentativa de mudar a prática da política, mas da sua falta de aptidão para qualquer tipo de diálogo. Não sabe ouvir, não entende os projetos, não tem interesse em estudá-los”, descreve, após lembrar no início do texto a mediocridade dos anos em que Bolsonaro atuou no Congresso.

“Jair Bolsonaro não presidiu comissão, não relatou qualquer projeto, nunca liderou grupo algum. Ele não se interessava pelas matérias que passavam por lá, concentrando-se em questões do seu nicho. Sua preocupação era apenas a defesa dos interesses da corporação dos militares e policiais. Afora isso, ofendia colegas que considerasse de esquerda e dava declarações espetaculosas para ocupar espaço no noticiário. Com esse currículo ele chegou à Presidência”.

Miriam ressalta que Bolsonaro não entende os próprios projetos que estão sendo enviados pelo governo ao parlamento, destacando que Paulo Guedes teve que corrigir o presidente quando ele falou sobre a proposta da reforma da Previdência a alunos da escola pública. Critica a concentração de decisões em Brasília – contradizendo o jargão “Mais Brasil e menos Brasília” – e compara Bolsonaro a Hugo Chávez, líder venezuelano que causa arrepios no sistema Globo.

“Com esse sentimento confuso de oposição a tudo, o presidente e os seus convocaram uma manifestação a favor dele mesmo, Bolsonaro. Lembra o chavismo, movimento iniciado por um coronel autoritário e que governou sempre convocando manifestações a favor do seu governo e demonizando todos os que se opunham aos seus métodos e decisões. Nada mais parecido com Hugo Chávez, em seu início, do que Bolsonaro”, relata

Leia o artigo na íntegra

via Revista Fórum

Anúncios