Governo Bolsonaro entra em estado terminal: de tsunami a chuva ácida tudo apodrece

16/05/2019 2 Por Redação Urbs Magna
Governo Bolsonaro entra em estado terminal: de tsunami a chuva ácida tudo apodrece

De tsunami a chuva ácida, governo Bolsonaro entra em estado terminal no 15M

A verdade é que a tsunami do 15M prevista pelo presidente virou chuva ácida. E seu governo apodreceu antes de madurar. Entrou em estado terminal

Depois da CPI que levou ao impeachment de Fernando Collor o jornalismo político cunhou como tese implacável a frase: você não sabe como uma CPI começa, mas sabe como termina. Como se todas levassem um governo à breca. FHC fugiu das CPIs como o diabo da cruz. Lula as enfrentou e terminou seu segundo governo com 87% de ótimo e bom.

Digo isso para registrar que toda regra tem exceção, mas a lógica diz que um governo não se sustenta muito tempo quando entra em fogo cruzado. Mesmo que ainda não esteja vivendo uma CPI.

E este 15M colocou Bolsonaro no pior dos cenários possíveis para quem mal passou de 100 dias à frente do Executivo.

Seguimos com a lista de sete fatos só deste 15M que indicam um caminho de isolamento e fim de governo.

1) Imaginava-se que os protestos de rua seriam grandes, mas eles foram gigantes e movimentaram centenas de cidades. Até o MBL se rendeu a eles, dizendo que furaram a bolha.

2) Imaginava-se que a Globo faria uma cobertura razoável, mas ela foi excessivamente correta com o tamanho dos atos. A GloboNews dividiu a tela entre protestos e a fala do ministro da Educação. E o Jornal Nacional fez um giro pelo país mostrando a dimensão do que aconteceu. Nada de registros frios. Uma clara declaração de guerra ao governo.

3) Imaginava-se que o ministro da Educação se saíria mal no Congresso, mas não que seria humilhado da forma que foi. E tratado sem a menor cerimônia pelos parlamentares.

4) Imaginava-se que Bolsonaro pagaria um mico ao viajar para Dallas, mas não que fosse chamado de bicão por Bush.

5) Imaginava-se que a denúncia contra Flávio Bolsonaro era pesada, mas não que ele tivesse comprado e vendido 19 apartamentos em 7 anos e fosse acusado de chefiar uma organização criminosa.

6) Imaginava-se que qualquer veículo pudesse publicar um escândalo deste porte contra a família Bozo, mas nunca imaginaria-se que isso saíria na Veja.

7) Imaginava-se que o PIB do primeiro trimestre deste governo seria ruim, mas nao se imaginava que seria negativo.

E fora esss sete pontos, a UNE já convocou novos atos para o dia 30. Ou seja, isso indica mais mobilizações que podem levar outras categorias a se juntarem, tornando os protestos ainda maiores.

A verdade é que a tsunâmi do 15M prevista pelo presidente virou chuva ácida. E seu governo apodreceu antes de madurar. Entrou em estado terminal. Pode sobreviver? Pode. Mas se isso acontecer será um governo em estado vegetativo.

via Revista Fórum

Anúncios