Partido dos Trabalhadores faz juz ao nome ao conseguir assinaturas para vetar cortes de verbas nas universidades

8 08-03:00 maio 08-03:00 2019 0 Por Redação Urbs Magna
Partido dos Trabalhadores faz juz ao nome ao conseguir assinaturas para vetar cortes de verbas nas universidades

PT consegue assinaturas para pedir urgência em projeto que proíbe cortes nas universidades

Margarida Salomão (PT-MG) e Paulo Pimenta (PT-RS) conseguiram o número suficiente de assinaturas para pedir urgência na votação do projeto de lei da deputada Maria do Rosário (PT-RS) que pode vetar o corte de 30% nas verbas destinadas à universidades e institutos federais anunciado por Bolsonaro

A oposição obteve uma importante vitória na noite desta terça-feira (7) na Câmara dos Deputados. A Frente Parlamentar pela Valorização das Universidades conseguiu o número de assinaturas necessário (257) para protocolar um requerimento de urgência na votação de um Projeto de Lei Complementar (PLP) que pode frustrar os planos de Jair Bolsonaro de cortar 30% das verbas destinadas à universidades e institutos federais.

De autoria da coordenadora da frente, deputada Margarida Salomão (PT-MG), e do deputado Paulo Pimenta (PT-RS), o requerimento pede urgência na votação do PLP 8/2019, apresentado pela deputada Maria do Rosário (PT-RS) em fevereiro deste ano. O projeto proíbe o contigenciamento de recursos destinados a universidades e institutos federais.

“Vitória!”, comemorou a deputada gaúcha pelo Twitter.

Margarida Salomão, por sua vez, avalia que a rapidez com que as assinaturas foram coletadas demonstram que a oposição terá força para aprovar o projeto e, assim, derrotar a medida de Jair Bolsonaro que, de acordo com especialistas, representa um desmonte na Educação pública brasileira.

O requerimento de urgência será, agora, analisado pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que pode o colocar em votação. Se aprovada a urgência, o projeto de Maria do Rosário vai à plenário.

Além do projeto que proíbe os cortes, a oposição trabalha ainda com a ideia de obstruir os trabalhos legislativos na Casa até que a medida de contingenciamento de recursos para a Educação anunciada por Bolsonaro seja revista.

via Revista Fórum

Anúncios