Putin enfrentará Trump em reação às novas sanções ilegais contra Cuba e Venezuela

18/04/2019 2 Por Redação Urbs Magna
Putin enfrentará Trump em reação às novas sanções ilegais contra Cuba e Venezuela

EUA lançam novas sanções contra Cuba e Venezuela, Rússia reage

A Rússia vai opor-se às novas sanções ilegais dos Estados Unidos contra Cuba e Venezuela e fazer todo o possível para apoiar parceiros estratégicos na região latino-americana, declarou o vice-ministro Relações Esteriores russo, Sergei Ryabkov.

crédito da Imagem Título: Blog do Esmael

Na quarta-feira (17), os Estados Unidos sancionaram o Banco Central da Venezuela. De acordo com John Bolton, assessor de Segurança Nacional dos EUA, o passo contra a instituição financeira bolivariana deve ser visto como aviso sério pelos outros, incluindo a Rússia, contra o envio de bens militares para Venezuela a fim de ajudar na permanência de Maduro no poder.

No mesmo dia, o secretário de Estado, Mike Pompeo, anunciou anulação de proibição antiga a ações civis de cidadãos norte-americanos contra empresas estrangeiras que usam propriedades confiscadas pelo governo de Cuba desde a revolução de 1959 de Fidel Castro, entrando em vigor a partir do dia 2 de maio.

A introdução de novas sanções foi justificada pelas acusações contra autoridades cubanas de violação dos direitos humanos, bem como pelo apoio cubano ao presidente venezuelano Nicolás Maduro, que os EUA consideram ilegítimo.

“Estamos preocupados com as ações continuadas dos EUA em relação a governos da região latino-americana. Vemos realização de uma política de imposição, em nossa opinião, de sanção completamente ilegal e outros impactos ilegítimos”, afirmou Ryabkov, comentando as recentes medidas de Washington.

Segundo ele, os Estados Unidos declaram abertamente meta de desmoralizar e enfraquecer Cuba e Venezuela e de “conseguir mudanças no curso político dos países mencionados em conformidade com a vontade de Washington”.

“Tudo isso é completamente inaceitável. Vamos resistir. A Venezuela e Cuba são nossos aliados na região, são nossos parceiros estratégicos. Faremos todo o possível para que eles sintam o nosso apoio”, reforçou Ryabkov.

via Sputnik / Blog do Esmael

Anúncios