Bolsonaro morre de medo de Lula voltar: “Não podemos errar. Se errarmos, sabemos quem voltará”, disse à equipe

7 07-03:00 janeiro 07-03:00 2019 0 Por Redação Urbs Magna
Bolsonaro morre de medo de Lula voltar: “Não podemos errar. Se errarmos, sabemos quem voltará”, disse à equipe

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) destacou, na manhã desta segunda-feira (7/1), a importância do seu ministro da Economia, Paulo Guedes, na definição dos rumos do governo. Na cerimônia de posse dos presidentes do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o presidente pregou uma complementaridade no perfil os dois.

“Eu entendo de política, mas Paulo Guedes entende muito mais de economia”, disse o presidente em evento realizado no Palácio do Planalto, sede do governo federal.

MAIS SOBRE O ASSUNTO

Na sequência, Bolsonaro destacou a autonomia de Guedes na condução econômica ao mencionar que conheceu Joaquim Levy, novo presidente do BNDES, minutos antes da posse.

“Na reunião informal há pouco, em minha sala, onde apertei a mão de Joaquim Levy pela primeira vez, perguntei a ele: ‘o Brasil vai dar certo?’ A resposta foi como bater um pênalti sem goleiro: ‘Se não fosse dar certo, não estaria aqui’”, contou Bolsonaro sobre o contato com o ex-ministro da Fazenda de Dilma Rousseff. Num primeiro momento, pela relação de Levy com os governos do PT – ele também foi secretário do Tesouro na administração de Luiz Inácio Lula da Silva.

As declarações foram uma resposta aos ruídos que tiveram início no fim da semana passada, quando a equipe econômica teve que voltar atrás em declarações do presidente sobre aumento de tributos e a reforma da Previdência.

“Nós não podemos errar. Se errarmos, os senhores sabem muito bem quem pode voltar. As pessoas de bem não poderão se decepcionar com a gente”, disse, em referência ao Partido dos Trabalhadores.

Mais cedo, Guedes e Bolsonaro deram posse aos novos presidentes do BNDES, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. O ministro criticou as gestões anteriores. Rubem Novaes tomou posse como novo presidente do Banco do Brasil e Pedro Guimarães, da Caixa Econômica Federal.

Nomeações
O Diário Oficial da União publicou, em edição extra na última quarta-feira (2/1), a nomeação Rubem Novaes como novo presidente do Banco do Brasil e de Pedro Guimarães, da Caixa Econômica Federal.

Joaquim Levy, que assumiu a presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) atuava como diretor financeiro do Banco Mundial, em Washington, desde o início de 2016.

Os presidentes anteriores dos bancos públicos eram Marcelo Augusto Dutra Labuto, à frente do Banco do Brasil desde novembro de 2018, quando o então presidente, Paulo Cafarelli, pediu demissão, e Nelson Antonio de Souza, que dirigia a Caixa desde abril. O ex-ministro do Planejamento Dyogo Oliveira estava à frente do BNDES desde abril.

Conheça o perfil dos executivos
Rubem Novaes, do Banco do Brasil: PhD em economia pela Universidade de Chicago (Estados Unidos), já foi diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e professor da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Pedro Guimarães, da Caixa: PhD em economia pela Universidade de Rochester (Estados Unidos), seu trabalho analisou os processos de privatização no Brasil. É sócio-diretor do banco Brasil Plural, grupo financeiro fundado em 2009 que atua no mercado de capitais.

Joaquim Levy, do BNDES: PhD em economia pela Universidade de Chicago (Estados Unidos), já foi ministro da Fazenda no governo de Dilma Rousseff (PT), foi diretor do Banco Mundial.

Receba nossas atualizações direto no seu WhatsApp – Salve nosso número em sua agenda e envie-nos uma mensagem – É GRÁTIS – ACESSE AQUI

Doe ao Et Urbs Magna

𝙲𝙾𝙽𝚃𝚁𝙸𝙱𝚄𝙰 𝚌𝚘𝚖 𝚘 𝚅𝙰𝙻𝙾𝚁 𝚀𝚄𝙴 𝙳𝙴𝚂𝙴𝙹𝙰𝚁 (O valor está expresso em Dólar americano) Para alterar o valor a contribuir, basta alterar o MULTIPLICADOR na caixa correspondente 𝐀 𝐩𝐚𝐫𝐭𝐢𝐫 𝐝𝐞 𝐔𝐒𝐃 $ 𝟏𝟎 / 𝐔𝐒𝐃 $ 𝟏𝟎𝟎 / 𝐔𝐒𝐃 $ 𝟏.𝟎𝟎𝟎 / 𝐔𝐒𝐃 $ 𝟏𝟎.𝟎𝟎𝟎

$10.00

Anúncios