Mundo árabe, (P…) com Bolsonaro que falou (M….), barra visita do chanceler de Temer, Aloysio Nunes, ao Egito – saiba

6 de novembro de 2018 2 Por Redação Urbs Magna
Mundo árabe, (P…) com Bolsonaro que falou (M….), barra visita do chanceler de Temer, Aloysio Nunes, ao  Egito – saiba

Já ficou claro para uma grande parcela da comunidade pensante que Bolsonaro não entende nada de política, nada de economia, nada de educação, nada de cultura, nada de nada. Aliás, fica muito mais fácil enumerar aquilo que o presidente eleito entende – que eu ainda não sei o que é, com exceção de “metralhar a petezada”)

Pois por conta de ter aberto a boca em lugar de mantê-la fechada para não entrar mosca, e sem sequer ter pego a faixa presidencial, Bolsonaro deixou os árabes magoados com o ‘coiso’ e o Egito cancelou uma visita que Aloysio Nunes faria no período entre 7 e 11 de novembro, àquele país, em retaliação a reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel. Quando repórteres perguntaram para o presidente eleito o que aconteceu, este deu as costas e se retirou sem responder. Quer entender? Então vejamos:


Receba nossas atualizações gratuitamente direto no seu WhatsApp
Salve nosso número em sua agenda e envie-nos uma mensagem
     whatsapp


Da Folha de São Paulo – O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), não quis responder a questionamento feito pela Folha sobre o cancelamento de uma visita que seria feita pelo governo brasileiro ao Egito.

“Não, outro assunto, outra pergunta ai”, disse o capitão reformado.

Após a insistência de repórteres para que ele comentasse o tema, ele repetiu o pedido para que fosse feita outra pergunta: “Outra pergunta, vamos embora”, disse, ao dar as costas e interromper a entrevista na saída do Ministério da Defesa.

O governo egípcio cancelou uma visita que o ministro de Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes, faria ao país árabe. O chanceler brasileiro desembarcaria nesta quarta-feira (7) e cumpriria uma agenda de compromissos entre os dias 8 e 11 de novembro.

Formalmente, a mudança foi justificada pelo Egito por uma mudança na agenda de autoridades do país.

Como este tipo de cancelamento de última hora não é comum na diplomacia, o gesto foi visto como retaliação por membros da chancelaria brasileira a declarações de Bolsonaro sobre política externa.

Ele prometeu, logo depois de eleito, transferir a embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, o que desagrada a comunidade árabe.


LOGO FOOTER ET URBS MAGNA

Anúncios