ELEITOR PREGUIÇOSO QUE NÃO COMPARECER ÀS URNAS PODERÁ TER SEU SALÁRIO SUSPENSO

7 de outubro de 2018 0 Por Redação Urbs Magna
ELEITOR PREGUIÇOSO QUE NÃO COMPARECER ÀS URNAS PODERÁ TER SEU SALÁRIO SUSPENSO

Receba nossas atualizações direto no seu WhatsApp totalmente GRÁTIS. Salve nosso número em seus contatos, clique na imagem abaixo e seu ‘ZAP’ será aberto bastando pressionar o botão ENVIAR e prontamente adicionaremos você em nossa lista.

RECEIVE UPDATES WHATSAPP IN ENGLISH


Et Urbs Magna, 07 de outubro de 2018, 14:55 GMT


Eleitor que não votar pode ter até salário suspenso

Quem não puder comparecer nas urnas deve justificar a ausência para não ter problemas futuros como ser proibido de tirar passaporte


Não comparecer às urnas pode até render a suspensão do próprio salário. O preguiçoso precisa justificar a ausência na Justiça Eleitoral para não ter problemas futuros como multas ou até mesmo ter o salário suspenso (no caso de funcionários públicos).

Para justificar o voto, basta acessar o site do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) e preencher um Requerimento de Justificativa Eleitoral. O documento também pode ser retirado nos cartórios eleitorais, nos postos de atendimento ao eleitor, na página do TSE e nos locais de votação ou justificativa nos dias de eleição.

O eleitor que estiver fora de seu domicílio eleitoral deve justificar sua ausência por meio do formulário e entregar no dia da eleição — neste domingo (7), e no caso de um segundo turno, no dia 28.

A multa para quem não justificar o voto até 60 dias após as eleições varia de R$ 3,51 a R$ 35,10, de acordo com a avaliação do juiz eleitoral da região. A multa é cobrada por cada turno ausente. Os eleitores devem justificar o voto tanto no primeiro como o segundo turno.

Após o pagamento da multa, para ficar em dia com a Justiça Eleitoral, é necessário levar a um cartório eleitoral um documento de identificação original com foto, o requerimento preenchido e um documento que justifique a ausência como atestado médico ou bilhete de passagem.

Aquele que deixar de votar e não justificar por três eleições seguidas terá o título de eleitor cancelado. Também não poderá tirar passaporte ou a carteira de identidade e, se for funcionário público, terá o salário suspenso. O eleitor em situação irregular não poderá pedir empréstimos, não poderá se inscrever em concurso público nem se matricular em instituições públicas de ensino.


YouTube-icon-our_iconSubscreva Et Urbs Magna no Youtube  VÍDEO RELACIONADO 


YouTube-icon-our_iconSubscreva Et Urbs Magna no Youtube  VÍDEO RELACIONADO 

Anúncios