BOLSONARO (32%), HADDAD (23%) E VENCE NO 2º TURNO: NOVA PESQUISA IBOPE TEM NÚMEROS TÍMIDOS A SEREM DESMASCARADOS NO DOMINGO

3 de outubro de 2018 1 Por Redação Urbs Magna
BOLSONARO (32%), HADDAD (23%) E VENCE NO 2º TURNO: NOVA PESQUISA IBOPE TEM NÚMEROS TÍMIDOS A SEREM DESMASCARADOS NO DOMINGO

Et Urbs Magna, 03 de OUTUBRO de 2018, 22:25 GMT


A surpresa é que Haddad volta a ganhar no segundo turno.

Nova pesquisa suspeita coloca Bolsonaro ainda à frente de Haddad, mas desta vez com 8 pontos percentuais de vantagem (queda de 3). Haddad disparou: “Vamos fazer o Brasil voltar a crescer”. A confiança retorna à galope.


NEWS WHATSAPP


Do Blog da Cidadania – Só quem acompanha pela primeira vez uma eleição no Brasil não vê a tramoia. A cada quatro anos, na véspera da eleição presidencial surgem denúncias e pesquisas “ruins” para o PT. Em 2014, Aécio Neves divulgou capa da Veja contra Dilma. Desta feita, na reta final do primeiro turno surgem pesquisas divergentes de todas as outras e a delação furada de Palocci.

Quem não se lembra da reta final da eleição presidencial de 2014, quando a revista Veja publicou reportagem de capa acusando a então presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula de crimes e panfletos reproduzindo a capa da revista foram distribuídos nas esquinas das cidades de todo país pela campanha de Aécio?

Desta vez, foi a delação de Palocci

Não tem erro. A cada quatro anos, pesquisas ruins para o PT e “balas de prata” contra o (a) candidato (a) do partido são divulgadas pela mídia antipetista durante a campanha eleitoral. Em 2010, por exemplo, o Blog da Cidadania abriu investigação na Polícia Federal contra os mesmos Datafolha e Ibope que ora estão tentando fazer você de trouxa.

Naquele ano, a sub-procuradora-geral eleitoral Sandra Cureau determinou que a Polícia Federal instaurasse inquérito para investigar suspeitas de fraude em pesquisas eleitorais realizadas pelos quatro principais institutos do país: Ibope, Datafolha, Vox Populi e Sensus. A denúncia foi feita pelo Blog da Cidadania.

Desta feita, após duas semanas e pouco de forte subida de Haddad nas pesquisas, de um dia para outro surgem duas pesquisas que destoa de todas as outras.

No último domingo (há 3 dias da data desta matéria), a tradicional pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes apontou empate técnico entre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro.

Nessa pesquisa, Haddad aparecia com 25,2% e Bolsonaro com 28,2%. No dia seguinte, uma mexidinha na margem de erro – e mais um tantinho – fez a pesquisa Ibope trazer Haddad “estagnado” e Bolsonaro crescendo.

Nesta quarta-feira 3, o Datafolha trouxe números idênticos aos do Ibope.

Porém, monitoramento do PT mostra que houve, no mínimo, exagero de Ibope e Datafolha e Haddad continua crescendo.

O Blog da Cidadania recebeu um dos trackings que o PT faz diariamente. A sondagem é feita pelo telefone e serve para acompanhar a tendência das intenções de voto. A pesquisa petista mostra os seguintes dados:

De terça 2 para quarta 3, Bolsonaro manteve 29% e Haddad 25%.

Ciro caiu de 8% para 7%.

Entre os evangélicos, Bolsonaro sobe um pouco (de 37% para 38%) e Haddad cai de19% para 18%.

Entre eleitores neutros, Bolsonaro cai três pontos de 27% para 24% e Haddad sobe de 15% para 16%. Neste segmento, Ciro perde um ponto – vai de 9% para 8%.

No Nordeste, Haddad e Bolsonaro continuam estáveis – 45% para Haddad e 16% para Bolsonaro. Ciro perde um ponto – de 14% para 13%.

No Sudeste, Haddad e Bolsonaro estabilizados – 16% Haddad X 31% Bolsonaro.

No Sul houve uma melhora de Haddad, que sobe de 15% para 18% e Bolsonaro fica parado nos seus 38%.

No Sul ocorreu uma tendência de aumento do voto em Alckmin (de 5% para 9%).

Nos eleitores até 2 salários mínimos, Bolsonaro está parando em 19% e Haddad oscila de 32% para 33%, enquanto nos de 2 a 5 salários mínimos Bolsonaro vai de 34% para 35% e Haddad cai de 21% para 20%; Alckmin cresce de 6% para 8%.

O tracking do PT diz que um pequeno crescimento de Bolsonaro perdeu folego e Haddad continua crescendo, principalmente no Sul e nas faixas de renda de 2 a 5 salários mínimos.

Haddad terá nova disparada, segundo especialistas, porque seu eleitorado, que em boa parte é de baixa renda, costuma decidir o voto na véspera da eleição, quando vai se informar e ficará sabendo que Lula não é candidato e que Haddad o substitui.

Vale notar que gigantescos 7% do eleitorado dizem que vão votar em Lula para presidente na pesquisa espontânea do Ibope, quando o eleitor é perguntado em quem vai votar sem receber uma lista de nomes para escolher.

Toda essa onda da mídia sobre crescimento de Bolsonaro e estagnação de Haddad não passa disso, conversa mole para ver se o eleitor de Haddad desanima da militância, já que os eleitores do PT e de Bolsonaro são os mais militantes. Haverá nova onda de crescimento de Haddad na véspera da eleição.


YouTube-icon-our_iconSubscreva Et Urbs Magna no Youtube  VÍDEO RELACIONADO 


Anúncios