“ESTOU FORA”, PENSOU FACHIN AO VOTAR POR LULA. ELE NÃO QUIS VIOLAR A ONU NEM ASSUMIR SER GOLPISTA

Por que Fachin não entrou na roubada de desafiar a ONU

A grande notícia política da semana passada foi a adesão do ministro do Supremo e do TSE  Edson Fachin ao bom direito. Ele foi o único a votar pela manutenção da candidatura de Lula à presidência do Brasil em respeito a um Tratado Internacional do Brasil com a ONU. Antes de explicar a conduta surpreendente dele, vale analisar seu histórico

Do Blog da Cidadania – A grande notícia política da semana passada foi a adesão do ministro do Supremo e do TSE  Edson Fachin ao bom direito. Antes de explicar a conduta surpreendente dele, vale analisar seu histórico.

Fachin vem sendo um carrasco para Lula e para os petistas. Em dupla com a ministra Cármen Lúcia, ainda presidente do Supremo, ele impediu a discussão da prisão em segunda instância e, mais recentemente, impediu que a segunda turma do STF desse um habeas corpus para Lula ao tirar o julgamento daquele habeas corpus daquela turma, considerada simpática à tese do ex-presidente.

O que houve, então, para Fachin votar a favor da candidatura Lula em reconhecimento honroso e corajoso à preponderância de tratados internacionais sobre leis ordinárias como a da ficha limpa?

Fachin vem de chicana jurídica em chicana jurídica subvertendo os direitos constitucionais de Lula e de petistas diversos. Por que não embarcar no discurso meliante de Luis Roberto Barroso de que a ONU não fez determinação alguma de que Lula possa ser candidato e, sim, mera “recomendação” que o Brasil não tem que acatar?

Barroso se tornou mero despachante da Globo no Supremo – e, agora, no TSE. Há muito deixou de ter preocupações mundanas como a de Fachin, com a própria biografia.

Edson Fachin, porém, revela que não está disposto a se tornar parte de um regime de força que ficará inscrito nos livros de história como autor das maiores atrocidades jurídicas da história recente. Sobretudo porque a ONU irá retaliar o Brasil por violar o tratado sobre Direitos Civis e Políticos.

A condenação do Brasil pela ONU já começa a se tornar favas contadas. E não será por vingança. A maior prova de que um regime age criminosamente contra os nacionais do país em que vige está na violação de tratados internacionais – coisa de ditaduras grosseiras.

Ao violar o tratado de direitos humanos com a ONU, o Brasil estará assinando uma confissão ao mundo de que, sim, está perseguindo Lula e de que faz qualquer coisa para mantê-lo ilegalmente fora do alcance do voto popular. E Fachin mandou um recado aos seus pares:

— Querem essa imagem para vocês? Bom proveito. Eu estou fora


LOGO FOOTER ET URBS MAGNANAS REDES SOCIAIS


whatsapp  Receba nossas atualizações no WhatsApp
YouTube-icon-our_icon  
Subscreva Et Urbs Magna no Youtube
facebook pages  Curta Et Urbs Magna no Facebook
facebook groups  Grupo no Facebook PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO
twitter icon  Et Urbs Magna no Twitter


Anúncios

Comments

  1. ESTE VELHOTE NÃO VALE O QUE DEFECA!!

  2. este velhiote nçO Vlw o

  3. […] “ESTOU FORA”, PENSOU FACHIN AO VOTAR POR LULA. ELE NÃO QUIS VIOLAR A ONU NEM ASSUMIR SE… […]

  4. […] Fonte: “ESTOU FORA”, PENSOU FACHIN AO VOTAR POR LULA. ELE NÃO QUIS VIOLAR A ONU NEM ASSUMIR SER GOLPIS… […]

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.