DÓLAR SUBINDO – NÃO QUE O MERCADO FINANCEIRO TENHA MEDO DE LULA E DO PT, MAS PORQUE A ELITE TEM ÓDIO

25 25-03:00 agosto 25-03:00 2018 0 Por Redação Urbs Magna
DÓLAR SUBINDO – NÃO QUE O MERCADO FINANCEIRO TENHA MEDO DE LULA E DO PT, MAS PORQUE A ELITE TEM ÓDIO

Sobre o medo e o ódio

“Se o mercado financeiro não tem medo de Lula, como explicar a violência do comportamento das elites econômicas e políticas brasileiras em relação a Lula e ao PT? E o comportamento de um setor oportunista do poder judiciário que resolveu transformar Lula em um criminoso e o julgar sem qualquer prova convincente?”, questiona o economista Luiz Carlos Bresser-Pereira; “A explicação está, a meu ver, não no medo, mas no ódio. O mercado financeiro não tem medo, mas essas elites têm ódio de Lula e do PT”


whatsapp  Receba nossas atualizações direto no WhatsApp


Do Brasil247 – O dólar continua a subir. Na quinta (23), bateu R$ 4,12. Todos estão de acordo, é o dólar da crise política brasileira, da insegurança em relação às eleições presidenciais que estão próximas. Mas para quanto irá o dólar? Qual a profundidade dessa crise? Pode ser comparada com a crise de 2002, quando o medo da eleição de Lula levou o dólar, a preços de hoje, a R$ 7,00? Há muita gente pensando assim, mas estão enganados. Não há medo de Lula, ou de seu vice, Fernando Haddad. Já está claro que um deles é o mais provável presidente da República. Mas não há por que temê-los – não há por que pensar que agirão de forma irresponsável tanto no plano fiscal quanto no plano cambial. Já sabem que déficits fiscais são muito perigosos, e que déficits em conta-corrente significam taxa de câmbio apreciada e desindustrialização.

Mas se o mercado financeiro não tem medo de Lula, como explicar a violência do comportamento das elites econômicas e políticas brasileiras em relação a Lula e ao PT? E o comportamento de um setor oportunista do poder judiciário que resolveu transformar Lula em um criminoso e o julgar sem qualquer prova convincente?

A explicação está, a meu ver, não no medo, mas no ódio. O mercado financeiro não tem medo, mas essas elites têm ódio de Lula e do PT. Ódio que apareceu pela primeira vez na história política do Brasil em 2013. Ódio sem base, irracional como todo ódio. Ódio de uma classe média que viu os pobres e os ricos prosperarem, enquanto ela era esquecida, e encontrou “um culpado” para isso.

Se pensarmos bem, verificaremos que o aumento havido nas intenções de voto em Lula em todas as pesquisas não é apenas resultado se os pobres terem sido bem tratados no seu governo. Ou do inegável carisma de Lula. É também uma reação popular contra o ódio e a injustiça.

Precisamos, com urgência, pacificar o Brasil, e levá-lo de novo a construir seu desenvolvimento. Essa será a primeira tarefa do presidente que será eleito em outubro próximo. Lula sempre foi um pacificador. Vamos esperar.


LOGO FOOTER ET URBS MAGNA

NAS REDES SOCIAIS


whatsapp  Receba nossas atualizações no WhatsApp
YouTube-icon-our_icon  
Subscreva Et Urbs Magna no Youtube
facebook pages  Curta Et Urbs Magna no Facebook
facebook groups  Grupo no Facebook PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO
twitter icon  Et Urbs Magna no Twitter


 

Anúncios