MÍDIA DISFARÇA, FINGE QUE NÃO SABE E SAI DE FININHO, SOBRE A ONU EXIGIR GARANTIAS ELEITORAIS PARA LULA

BRASIL DIREITOS HUMANOS ELEIÇÕES 2018 Lawfare Lula Lula na ONU NOTÍCIAS POLÍTICA TV

Jornais brasileiros abafam decisão da ONU que garante Lula candidato

Como esperado, os jornalões desprezaram a decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que exige a garantia aos direitos políticos de Lula. E, ao mesmo tempo, tratam com a maior naturalidade a realização de mais um debate de TV em que o candidato favorito foi impedido de participar


whatsapp  Receba nossas atualizações direto no WhatsApp


Do GGN – Na Folha: nenhuma menção à ONU na capa, algumas notas no “Painel” antecipando que a determinação será ignorada pelo Supremo e uma reportagem de um terço de página, em página par, sumarizando o caso. Muito abaixo da relevância do episódio, mas bem melhor que seu concorrente, que escondeu a determinação em uma notinha no meio do “Painel do Estadão” – em que, aliás, ela é chamada de “recomendação do Comitê de Direitos Humanos da ONU” – e no intertítulo de uma reportagem intitulada “Barroso concentra impugnações a Lula”. A matéria recebeu uma chamada de capa, tão irrelevante (“Barroso já tem sete ações contra Lula”) que seria inexplicável caso não houvesse o desejo de se contrapor à verdadeira notícia, aquela que o jornal optou por ocultar.

Trata-se de minimizar um fato político de enorme relevância. Tanto Folha quanto Estadão fizeram questão de ressaltar que outros políticos foram impedidos de concorrer nas mesmas condições de Lula e não houve ação da ONU. É uma falsa ingenuidade, que pretende não entender que um ex-presidente, candidato favorito numa eleição presidencial, tem mais condições de recorrer a um organismo internacional do que outros.

Em suma: neste caso, uma vez mais, a imprensa põe em funcionamento a doutrina Ricupero: “o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde”. Uma doutrina que, segundo as imorredouras palavras do então ministro da Fazenda, só se estabelece graças à ausência de escrúpulos.

Enquanto isso, o noticiário das eleições corre como se vivêssemos a mais normal e democrática das normalidades democráticas. Fiel à sua vocação “pluralista”, a Folha inaugura hoje uma seção semanal de polêmica sobre o processo eleitoral, em que a Leandro Narloch encarna a direita e as cores da esquerda são defendidas por… Pablo Ortellado! Já o Estadão, também seguindo a tradição, prefere a voz autorizada dos especialistas consagrados e estampa, na página 2, uma análise de conjuntura assinada por… Bolívar Lamounier!

Mais do que qualquer outra coisa, o tom imposto pela cobertura é evidenciado na coleção de fotos dos candidatos na Rede TV!, recurso ao qual ambos os jornais recorreram. Estão lá oito opções. Tem até uma mulher e um cara barbado. Tem para todos os gostos: do que o eleitor pode reclamar? A eleição transcorre sem percalços, ponto.

Por isso a decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU incomoda. É fundamental, para o projeto do golpe, que a ilegitimidade do processo eleitoral no Brasil não seja exposta. Por isso, as empresas jornalísticas ocultam mais este fato.


LOGO FOOTER ET URBS MAGNA

NAS REDES SOCIAIS


whatsapp  Receba nossas atualizações no WhatsApp
YouTube-icon-our_icon  
Subscreva Et Urbs Magna no Youtube
facebook pages  Curta Et Urbs Magna no Facebook
facebook groups  Grupo no Facebook PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO
twitter icon  Et Urbs Magna no Twitter


 

Anúncios

1 thought on “MÍDIA DISFARÇA, FINGE QUE NÃO SABE E SAI DE FININHO, SOBRE A ONU EXIGIR GARANTIAS ELEITORAIS PARA LULA

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.