A GREVE DOS CAMINHONEIROS COMO PRETEXTO PARA UM GOLPE MILITAR

Estou com uma sensação de que o Lock Out e a Greve de Caminhoneiros sejam evidências de um quadro pré-Golpe Militar.

Quem conhece a História da América Latina sabe que crises de desabastecimentos provocadas por Lock Outs costumam ser movimentos descendentes de boicote e cujo objetivo é criar desestabilização em nível suficiente para um movimento Bonapartista de cunho Militar.

Tenho visto muitas pessoas fazerem uma comparação com o Golpe do Pinochet em 1973 no Chile e a estratégia na época foi idêntica à que estamos testemunhando no Brasil neste exato momento, ou seja, greve de caminhoneiros seguida de desabastecimento generalizado.

Isso provocou o ambiente pro Pinochet fechar o Congresso. O que se vê no Brasil é muito idêntico. No caso do Chile em 1973, muitos podem argumentar que o Golpe seguia o roteiro clássico: direita contra esquerda (Salvador Allende) e que no Brasil o Golpe não teria essa natureza.

De fato não tem no momento, mas há o interesse explícito da ala golpista em destituir Temer desde 2017 devido à fragilidade deste governo em promover todas as reformas que o grande Capital exige. Alie este quadro com o definhamento geral do sistema, onde percebemos também os efeitos colaterais das políticas protecionistas dos EUA, a repentina – e suspeitíssima fuga de capitais no Brasil desde a semana passada, e temos aí o cenário econômico ideal para uma escalada bonapartista de cunho militar.

A ala golpista fracassou no lançamento de um candidato “outsider” nas Eleições de 2018 e vendo a possibilidade do barco do Golpe de 2016 furar, trata de arrumar a casa.

Há outros processos que merecem nota: O reconhecimento dos EUA de Jerusalém como capital do moderno Estado de Israel provocou um abalo sísmico em alguns países membros da OPEP. A resposta quase imediata de algumas destas nações exportadoras é elevar os preços do barril de Petróleo para agredir os países centrais da indústria. Entretanto, essa elevação dos preços agride pouco os EUA atualmente que estão hoje menos dependentes do petróleo árabe e contam mais com o xisto betuminoso extraído de seu próprio território. Vemos uma Crise do Petróleo como em 1973 mas muito atípica e de efeitos fracionados em vários países ao mesmo tempo, desenvolvidos e subdesenvolvidos.

Estou cravando com a tese de que o movimento atual se direciona para um Golpe Militar. Neste sentido, mais uma vez parabenizo vários analistas de esquerda revolucionária que denunciam esse risco há anos e meses e apontam possíveis saídas e estratégias para a classe operária.

Eduardo Morelli é Professor formado em História, pós-graduado em História, Sociedade e Cultura e atual pós-graduando em Filosofia e Pensamento Político Contemporâneo

O Urbs Magna🌐 é um site independente. Se você quer ajudar na luta contra o golpismo e por um Brasil melhor, compartilhe com seus amigos e/ou em grupos de Facebook e WhatsApp. Quanto mais gente tiver acesso às informações, menos poder terá a manipulação da mídia golpista.

Subscreva nosso Canal do Youtube e acesse todos os vídeos. Curta nossa Página no Facebook e receba em primeira mão todas as postagens. Entre para o Grupo PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO e acompanhe as propostas para um país mais igualitário. Siga-nos no Twitter.

Urbs Magna

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: