AS 22 AÇÕES FASCISTAS PARA DESMORALIZAR LULA DESDE SUA PRISÃO

BRASIL CURITIBA DIREITOS HUMANOS ELEIÇÕES 2018 Golpe 2016 Justiça Lawfare Lula NOTÍCIAS operação lava jato OPINIÃO POLÍTICA Prisão de Lula PT Sérgio Moro e Lula

A última fase do golpe parece não terminar. Quando se pensava e falava que a fase final chegaria com a prisão sem provas do ex-presidente Lula, os episódios de violações aos direitos humanos e a crescente violência psicológica e física demonstram o ódio expressado por parte do País.

Da repetida negação da visita de amigos e do médico pessoal ao ex-presidente, aos tiros que acertaram com gravidade um homem na madrugada de sábado no acampamento Marisa Letícia, em Curitiba, há uma clara tentativa de desmobilizar os apoiadores e movimentos sociais, ao mesmo tempo em que pretende-se silenciar a maior liderança popular brasileira.

Esses fatos passaram a ser realidade diária a ser enfrentada pelo próprio ex-presidente e pelos que brigam por sua liberdade no acampamento Lula Livre, que persiste ao superar com a capacidade própria das classes pobres as adversidades de vidas marcadas pela sequência de dias de luta.
Podem tentar o que quiser, estamos com Lula aqui ou onde quer que ele for e só voltaremos para casa com ele nos braços“, resume o sentimento coletivo de milhares em Curitiba e de milhões no Brasil, Conceição Silva, de 65 anos, uma das apoiadoras de Lula espalhadas pelo país.

  • 07 de abril: Prisão de Lula
  • 08 de abril: Repressão policial aos manifestantes do acampamento Lula Livre com o registro de oito feridos.
  • 09 de abril: Confirma-se autenticidade de áudio da FAB em que operador sugere que Lula seja atirado para fora do avião durante seu translado até Curitiba. Manuela D’ávila, pré-candidata à presidência pelo PCdoB e deputada estadual, sofre provocações de infiltrado no acampamento em Curitiba.
  • 10 de abril: Relato de acampados denunciam atitudes intimidatórias por parte da Polícia Militar durante a madrugada.
  • 11 de abril: Negada a visita de nove governadores e três senadores de quatro diferentes partidos: PT, PDT, PSB e MDB.
  • 12 de abril: Confirma-se nota do Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Estado do Paraná solicitando a transferência de Lula da sede da Superintendência da Polícia Federal.
  • 13 de abril: Prefeitura de Curitiba também pede transferência de Lula da sede da Superintendência da Polícia Federal.
  • 14 de abril: Ameaça de multa de 500 mil reais aos acampados caso continuem nas imediações da Polícia Federal.
  • 15 de abril: Moradores da região onde está o acampamento protocolam ações na Justiça pedindo pela retirada dos manifestantes.
  • 16 de abril: Frente Povo Sem Medo ocupa triplex que Moro diz ser de Lula, mas é obrigada a deixar o local por ameaças da Justiça e da Polícia.
  • 17 de abril: Furtam passaporte e objetos pessoais do ex-presidente Lula dentro de um carro no qual estavam os pertences. Acampamento é retirado das proximidades da sede da Polícia Federal.
  • 18 de abril: Homens vestindo camisetas de um time de futebol de Curitiba agridem militantes do acampamento.
  • 19 de abril: Prêmio Nobel da Paz, Adolfo Perez Esquivel e o teólogo Leonardo Boff são impedidos de visitar Lula, contrariando a Lei de Mandela, da qual o Brasil é participante.
  • 20 de abril: Carros realizando manobras perigosas com pessoas ameaçando e xingando acampados passam pelo local em meio à madrugada.
  • 21 de abril: Restringe-se o acesso para profissionais das mídias independentes e ligadas a centrais e sindicatos a áreas próximas a Polícia Federal.
  • 22 de abril: Surgem novas especulações a respeito de uma possível transferência de Lula antes do 1º de maio, quando são esperados milhares de trabalhadores em Curitiba para reforçar o apoio ao ex-presidente.
  • 23 de abril: Trio elétrico contratado por organizações de direita e com apenas seis pessoas desfere ofensas racistas e discriminatórias aos apoiadores de Lula.
  • 24 de abril: Ex-presidenta Dilma Rousseff não tem permitida sua visita ao ex-presidente Lula.
  • 25 de abril: Médico de Lula é impedido de visitá-lo pela juíza Carolina Lebbos.
  • 26 de abril: Eduardo Suplicy é impedido de visitar Lula, contrariando-se uma vez mais o Tratado de Mandela por decisão da juíza Carolina Lebbos.
  • 27 de abril: Noticia-se que o juiz de primeira instância Sérgio Moro não pretende transferir processo envolvendo o sítio de Atibaia para uma corte do estado São Paulo, opondo-se à decisão do Supremo Tribunal Federal.
  • 28 de abril: Homem ainda não identificado desfere tiros contra o acampamento e a tentativa de homicídio resulta em grave ferimento na garganta de Jeferson e no ferimento, sem gravidade, de Marcia Koakoski, acertada por estilhaços de um dos projéteis.

Subscreva nosso Canal do Youtube e acesso a todos os vídeos. Curta nossa Página no Facebook e receba em primeira mão todas as postagens. Entre para o Grupo PROGRESSISTAS POR UM BRASIL SOBERANO e acompanhe as propostas para um país mais igualitário. Siga-nos no Twitter


Urbs Magna 🌐 DCM

Anúncios

1 thought on “AS 22 AÇÕES FASCISTAS PARA DESMORALIZAR LULA DESDE SUA PRISÃO

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.